Lançado pelo governador Rui Costa para permitir a realização de pesquisas de preço em tempo real e sem sair de casa com base nos dados das notas fiscais eletrônicas armazenadas pela Secretaria da Fazenda (Sefaz-BA), o aplicativo Preço da Hora Bahia está sendo recomendado aos baianos por quem atua diariamente na defesa dos direitos do consumidor: o Procon-BA. Para o órgão, é importante não apenas utilizar o app, que constitui  um poderoso instrumento de economia nas mãos dos usuários, mas também solicitar sempre a nota fiscal, de forma a manter atualizado o sistema que pesquisa os preços a partir das informações armazenadas pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-Ba).
“O consumidor deve pedir sempre a nota fiscal, tanto para ter a garantia do produto adquirido, como também para alimentar o sistema, que ele vai poder usar de novo, atualizado a cada nova compra. Quem utilizar o Preço da Hora Bahia certamente vai fazer uma boa compra”, avalia o superintendente do Procon-BA, Filipe Vieira.
O Preço da Hora Bahia tem um caráter colaborativo importante, enfatiza Filipe Vieira. "A ferramenta utiliza a fonte de dados mais segura e confiável que existe que é a nota fiscal eletrônica”, afirma. O aplicativo tem ainda o potencial de transformar-se numa ferramenta de apoio no dia a dia dos consumidores, em função da grande riqueza de informações que ele pode gerar, permitindo organizar a vida financeira e economizar nas compras e contratações.

Preços das últimas horas
Para começar a utilizar o Preço da Hora Bahia pelo celular é preciso baixar o aplicativo, disponível para Android e iOS. Também é possível pesquisar na página web precodahora.ba.gov.br. O Preço da Hora Bahia abrange todos os produtos vendidos no varejo, com destaque especial para combustíveis e medicamentos. Solicitada a pesquisa, o aplicativo irá apresentar os preços de venda do produto nas últimas horas, na região em que está o consumidor, utilizando a localização do seu celular.
As informações são fornecidas pelas cerca de 180 mil empresas presentes nos 417 municípios da Bahia, ao emitirem a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) ou a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Diariamente, são mais de 3,2 milhões de notas fiscais processadas pela Sefaz-Ba, com picos superiores a 4,4 milhões. Só em Salvador são emitidas mais de 1,2 milhão notas fiscais eletrônicas todos os dias. O interior, por outro lado, responde por 68% do total de produtos comercializados no varejo.
Consórcio Nordeste
O Preço da Hora Bahia baseia-se em uma solução desenvolvida pelo Governo da Paraíba em parceria com o Tribunal de Contas do Estado  (TCE-PB) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), cedida para a Bahia como parte da política de intercâmbio de boas práticas entre os estados no âmbito do  Consórcio Nordeste, presidido pelo governador Rui Costa. A adaptação foi feita pela Sefaz-BA, tendo a Companhia de Processamento de Dados do Estado (Prodeb) como parceiro tecnológico. A ferramenta permite ao usuário fazer suas próprias listas de compras e obter as melhores cotações para elas, possibilitando assim definir produtos favoritos para facilitar a pesquisa.
“Optamos pelo modelo mais completo entre aqueles que têm sido adotados por alguns fiscos estaduais”, explica o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório. “O Preço da Hora Bahia vai estimular a concorrência entre as empresas, contribuindo para a redução de preços e para dar maior visibilidade ao pequeno comerciante, e será um avanço na relação com o consumidor, que passará a contar com a garantia de uma pesquisa consistente para adquirir o produto mais barato”, acrescenta. 
O projeto, de acordo com o secretário, integra as iniciativas de cidadania fiscal do governo baiano que incluem a campanha Nota Premiada Bahia, com cerca de 550 mil participantes de todo o estado, e o programa Sua Nota é um Show de Solidariedade , que apoia 530 instituições filantrópicas baianas.

Fonte: Ascom/Sefaz-BA