A Secretaria da Educação do Estado e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assinaram, nesta quarta-feira (15), por meio de webconferência, o acordo de parceria para a implantação do projeto Educação Conectada. A ação visa ampliar e consolidar a cultura digital por meio de práticas educacionais inovadoras, mediadas por tecnologia. Com a participação do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) e das Fundações Lemann e Itaú Social, a ação tem investimento superior a R$ 6 milhões e vai beneficiar 33 mil estudantes de 63 escolas públicas localizadas nos municípios de Lauro de Freitas e Ilhéus.
 O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou a importância da parceria para a aprendizagem dos estudantes. "A construção do projeto foi importante para podermos proporcionar que a tecnologia e a inovação sejam incentivadas na pedagogia das escolas. O momento mostra como estas ferramentas têm que fazer parte do dia a dia da comunidade escolar. E com o regime de colaboração com os municípios e as instituições públicas e privadas conseguimos aperfeiçoar esta oferta para os nossos estudantes", destacou.
O superintendente de Gestão do BNDES, Júlio Leite, ressaltou o objetivo da instituição em apoiar a implantação das culturas digitais nas redes escolares. "O BNDES vem buscando ampliar sua atuação e o apoio à educação é um fator fundamental desta nova proposta. Estamos desde abril de 2018 com o projeto Educação Conectada, atingindo 170 mil estudantes em 11 municípios dos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Tocantins, Paraíba e Sergipe. E sempre ressaltando a importância das parcerias do CIEB e das Fundações Lemann e Itaú Social, e da participação dos secretários de Educação que abraçaram a ideia", afirmou. 
O assessor de Planejamento e Gestão da Secretaria da Educação, Matteus Martins, explicou como o projeto vai ser desenvolvido nas escolas. "No processo de construção, definimos como serão desenvolvidas as práticas pedagógicas mediadas por tecnologia, que são voltadas à aprendizagem dos estudantes até o 3º ano do Ensino Fundamental; ao letramento em Matemática e Língua Portuguesa do 6º ao 9 ano do Ensino Fundamental; e a proficiência em Matemática e Língua Portuguesa do 1º e 2º ano do Ensino Médio", disse. 
A secretária de Educação de Lauro de Freitas, Vânia Galvão, também participou da webconferência e falou sobre o envolvimento das redes municipais. "Esta é uma proposta que vai levar mais inovação e tecnologias para as escolas  da nossa rede de ensino". Já para a secretária de Educação de Ilhéus, Eliane Oliveira, foi "fundamental este trabalho de colaboração entre os municípios, o Estado e as instituições para consolidação projeto". 
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado