Em alusão aos seus 25 anos de atuação, que se completam neste ano de 2020, a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) realizou nesta quarta-feira (4), na sua sede, um encontro entre a atual diretoria, diretores-gerais que passaram pela instituição, o secretário do Planejamento, Walter Pinheiro, e servidores. No encontro mediado por Edgard Porto, diretor de Estudos da SEI, foi discutida a importância da SEI para o planejamento e desenvolvimento da Bahia, os trabalhos realizados pela instituição até os dias atuais e os anseios para o futuro da mesma.

“A SEI tem o desafio de produzir informações que sirvam, principalmente, para transformar a vida das pessoas, ampliar a renda das famílias, mas também impactar na melhoria da mobilidade, do escoamento da produção, na vocação dos territórios de identidade. As informações produzidas pela SEI são elementos decisivos nas tomadas de decisões do poder público. Um exemplo notório foi o estudo com a previsão do fluxo de passageiros do sistema metroviário no trecho até a Barra, passando pelo Campo Grande. Foi a partir desse estudo que foi tomada a decisão desta ampliação. Então, esta superintendência tem esta proeza de produzir conhecimento, pautada sempre pela inovação e levando em consideração sua credibilidade técnica, valorizando os servidores e ampliando o escopo de sua atuação”, destacou o secretário Pinheiro.

Criada pelo Decreto n° 16.261, de maio de 1955, a Comissão de Planejamento Econômico (CPE), dirigida inicialmente pelo economista Rômulo Almeida, recebeu a incumbência de elaborar estudos e pesquisas para subsidiar o planejamento governamental. Como tal, o órgão se constituiu na primeira experiência institucional de planejamento no Brasil, sendo responsável pela realização de importantes estudos e projetos no estado da Bahia. Em 18 de janeiro de 1995, por força da Lei n° 6.812, ocorreu a fusão entre a Fundação Centro de Projetos e Estudos e a autarquia Centro de Estatísticas e Informações, sendo criada a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

A diretora-geral da SEI, Jorgete Costa, destacou que nesta gestão a superintendência atuou de forma mais intensa na elaboração do Plano Plurianual Participativo, o que aumentou as demandas junto às secretarias de governo, ampliando ainda mais seu escopo de atuação. “Inclusive ampliamos a interlocução junto à União dos Municípios da Bahia e também passamos a produzir conteúdos com foco mais regional, pensando no Nordeste. Ressalto que aqui trabalhamos com a cultura da solidariedade, com as diretorias cada vez mais integradas, sempre pautados pelas novas tecnologias, para que possamos atender de forma mais ampla os anseios da sociedade”, disse Jorgete, ao anunciar para o próximo dia 27 de maio o lançamento da publicação Memórias da Economia Baiana, que será realizado no Palacete das Artes, em Salvador.  

“Um dos maiores, senão o maior desafio técnico político e intelectual que já tive em minha vida. Importante destacar que seu trabalho básico é a produção de insumos para a tomada de decisões políticas e administrativas, mas a SEI não deve se bastar neste trabalho e, sim, buscar compreender questões mais amplas, como para onde caminha a humanidade, qual a perspectiva de futuro da economia global e onde se situa a economia da Bahia neste contexto”, ressaltou o ex-diretor Geraldo Reis.

Para Cezar Vaz, que também foi diretor-geral do Órgão, a cultura da exposição de informações trouxe para instituição credibilidade na sociedade. “É preciso que a SEI produza conhecimento com inovação, e o Seicolab vai nesta direção”, disse. A plataforma permite a colaboração de diversos setores da sociedade e sua finalidade é promover o debate público e a troca de conhecimentos por meio de estudos e projetos com caráter colaborativo.

A ex-diretora Renata Prosérpio ressaltou a importância da neutralidade da superintendência no campo da política, como forma de assegurar a integridade dos seus estudos. “A credibilidade de um órgão de estatística como a SEI é o seu maior patrimônio”. Renata, falou ainda que a SEI atua para atender a sociedade em todas as demandas e por isso a instituição tem como missão: "Informação a Serviço da Sociedade".

Atualmente, a  SEI se constitui no principal provedor de dados do estado, atendendo a demandas provenientes de várias esferas do governo, dos municípios e da sociedade civil. Com o slogan “25 anos de SEI, 65 anos de história”, é comemorada neste ano a importância da instituição.

Fonte: Ascom/Secretaria de Planejamento do Estado (Seplan)