Uma novidade antecedeu a abertura da Temporada 2020 de concertos da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), que se iniciam na próxima quinta-feira (19), às 20h. Na noite desta quarta-feira (11), a companhia proporcionou aos associados da Associação Amigos do Teatro Castro Alves (ATCA), aos assinantes da Série Jorge Amado, à imprensa e aos formadores de opinião uma ‘Viagem Sinfônica’, um passeio guiado pelos destaques do que será apresentado este ano.
 
O maestro Carlos Prazeres informou que nesta temporada "a Osba vai fazer uma homenagem ao grande compositor Ludwig van Beethoven, que revolucionou grande parte da história da música e que, este ano, completaria 250 anos, se vivo fosse". 
A homenagem será feita de uma forma conectada ao universo baiano. "A Bahia é um lugar de vanguarda, que teve Edgar Santos, que teve a Tropicália e que é um condutor cultural do país. Assim como a Bahia, Beethoven transgrediu e revolucionou por completo o universo da música de concerto", acrescentou. 
Outras atrações da temporada, completou Prazeres, são "a presença de Lindemberg Cardoso e Alberto Nepomuceno. Vamos ter músicos da orquestra fazendo participações importantíssimas, entre outras atrações nacionais e internacionais. Haverá a continuidade da série Mãe Menininha, que é a série sensorial da Osba, com dois concertos, um ligado a quadros e outro ligado à cultura negra". 
Dois Cine Concertos também estão previstos. O primeiro, no dia 28 de março, será dedicado ao Oscar e apresentará apenas temas de filmes que foram indicados ou premiados. O segundo ocorrerá em outubro. "A gente vai terminar a temporada com um lindo concerto de Natal. Espero que esse lindo público ‘crush’ que nos acompanha tenha a oportunidade de estar aqui perto da gente", disse o maestro. 
Para Prazeres, a Osba faz um trabalho importante de popularizar a música de concerto. "As pessoas confundem popularizar a orquestra com toca música popular. Algumas vezes, a Osba se dedica sim à música popular. Mas o nosso objetivo é aproximar o público da música de concerto, também chamada de música clássica", finalizou. 
 
Plano de assinaturas
 
A diretora-executiva da orquestra, Fabiana Pimentel, explicou sobre o funcionamento do plano de assinaturas da Osba, que já é uma atividade comum de outras orquestras pelo mundo. "A Osba este ano abriu o seu plano de assinatura. Conseguimos atingir o número de 260 assinantes e pretendemos estreitar cada vez mais os laços com essa plateia. A finalidade é antecipar os ingressos da temporada com algumas facilidades e também buscar o estreitamento de relação da orquestra com o seu público". 
O analista de sistemas Thiago Brito é um dos 260 membros do plano de assinatura. "Eu já acompanho a Osba há quatro anos. Comecei como membro do grupo de WhatsApp da orquestra, para saber em primeira mão quais eram os espetáculos. Quando ouvi falar do plano de assinaturas, eu já me inscrevi, peguei logo um lugar bem na frente e tivemos a grata surpresa de ter este evento hoje para os assinantes".
Segundo o diretor-geral do Teatro Castro Alves (TCA), Moacir Gramacho, o plano de assinaturas fortalece a Osba, que é um dos pilares do TCA. "A Osba é um dos principais projetos do Teatro Castro Alves, que passou por um redesenho do seu sistema de gestão. A Osba foi publicizada pelo Governo do Estado e hoje é considerada um dos projetos mais interessantes de orquestras sinfônicas do Brasil. Por aqui passam até 400 mil pessoas por ano, sendo que cerca de 50 mil pessoas vêm ver a orquestra sinfônica". 
Repórter: Raul Rodrigues