A Bahia está em clima carnavalesco e o bloco da agricultura familiar está fazendo o maior sucesso na avenida. Pela primeira vez, delícias produzidas por agricultores familiares baianos marcam presença no circuito da folia.

Nos circuitos Dodô/Barra Ondina e Osmar/Campo Grande tem a Banana Chips da Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), o doce em massa de umbu e maracujá da caatinga orgânico da Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc), as barrinhas de chocolate com 70% de cacau da Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba) e as barrinhas de cereais nutritivas de abacaxi, jaca e umbu da Cooperativa Agroindustrial de Itaberaba (Coopaita).

Os produtos estão conquistando os foliões e podem ser encontrados em camarotes em Ondina, e no Campo Grande, e em diversos pontos comerciais da capital baiana, garantindo uma alimentação saudável, antes, durante e depois de o trio passar.

Para não perder o ritmo e repor as energias, além dos produtos que estão no circuito, outras delícias como castanha de caju, nibs, tapioca, palmito, licuri, farinha de copioba, mel e flocão de milho também são opções de alimentos saudáveis, produzidos pela agricultura familiar da Bahia, que  podem ser consumidos durante a folia.

As cooperativas da agricultura familiar participam no Carnaval com apoio do Governo do Estado, por meio do Bahia Produtiva e Pró-Semiárido, projetos executados pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio de empréstimo do Banco Mundial.

O assessor do projeto Bahia Produtiva, Guilherme Martins, destacou que o consumidor cada dia mais procura por produtos que tenham valores por trás dos rótulos e exige do mercado a origem e o seu modo de produção: "O carnaval é um ambiente cada vez mais de posicionamento de bandeiras, conceitos e atitudes que a sociedade, aproveitando toda mídia que se constrói em torno dos dias de festa, se mobiliza para difundir. Associar a agricultura familiar nesse contexto é acertado porque alcança e sensibiliza consumidores que em geral ainda não conhecem os produtos, e forma opinião de influenciadores que podem dar mais destaque para o que a agricultura familiar de base sustentável tem capacidade para ofertar. É uma oportunidade de posicionar os produtos em mercados mais competitivos, de ampliar negócios para cooperativas que são apoiadas em ações de gestão e de mercado pelo projeto".

A atleta de Brasília Adriana Sipriano provou as barrinhas de cereais e destacou a importância de proporcionar aos foliões uma alimentação mais saudável: "As barrinhas de cereais de frutas são deliciosas e estarem disponíveis durante o carnaval é uma forma de todos, principalmente os jovens que comem tantas bobagens, se alimentar melhor".

Depois de provar o doce de Umbu, a secretária de Desenvolvimento Sustentável do município de Caetité, Cátia Virgínia, elogiou o trabalho da cooperativa e afirmou "Maravilhoso, muito bom! Irei indicar para outras pessoas, trabalharam muito bem".

Fonte: Ascom/ SDR