Mais de 400 mil baianos de 37 municípios foram atendidos pela Feira Cidadã em 2019. Foram feitas mais de 30 mil cirurgias de catarata e mais de dez mil cirurgias eletivas. A última cidade a receber a iniciativa foi Ourolândia, no centro norte da Bahia, nesta quinta (19) e sexta-feira (20). No município, a ação realizou mais de oito mil atendimentos. 
Promovida pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), em parceria com as Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), a Feira Cidadã oferece gratuitamente consultas e exames, cirurgias, além de serviços do SAC. Em outubro, uma das maiores edições em 2019 foi em Ilhéus, na região sul, registrando cerca de 20 mil atendimentos. Os procedimentos mais procurados foram odontologia, ultrassonografia, mamografia e oftalmologia. 
A dona de casa Maria Vitória conseguiu realizar o exame oftalmológico e foi encaminhada para cirurgia de catarata no Hospital Regional da Costa do Cacau. “Eu estou com minha visão muito curta e vinha sentindo um incômodo. Hoje consegui fazer esse exame de graça e, para a gente que não consegue pagar em clínica particular, é muito importante”, afirmou. 
Em janeiro, o município de Caetanos, na região sudoeste, foi um dos beneficiados com a presença da Feira Cidadã, que atendeu mais de cinco mil baianos. Também ocorreu a entrega gratuita de óculos para os pacientes com necessidade constatada pelo oftalmologista. A dona de casa Ataiane Silva levou a filha Thifany para fazer exame e ficou surpresa. “Meu pai também veio e, após o diagnóstico de catarata, já saiu com a cirurgia marcada. É uma oportunidade única e que dificilmente iremos ver novamente”, destacou.
Em abril, durante a inauguração da Avenida 29 de Março, em Salvador, foi realizada a 8ª edição da Feira Cidadã no ano. O evento ofereceu serviços de saúde e emissão de documentos para moradores dos bairros que ficam no entorno da nova avenida. Mulheres entre 50 e 69 anos puderam realizar exames de mamografia. A cozinheira Iranice de Souza, moradora de Cajazeiras VIII, aproveitou a oportunidade para se cuidar. “Tem que fazer o exame, não é? Eu tenho 60 anos, é bom a gente fazer e se prevenir”, disse.