O coral da Polícia Militar abriu as comemorações do evento ‘Fonte de Natal’, realizado há três anos na Arena Fonte Nova. O estádio abriu as portas nesta quinta-feira (19) para três mil visitantes, entre adultos e crianças, a maioria moradores do entorno, que puderam contar com uma infraestrutura montada com materiais recicláveis, como uma árvore natalina gigante, criada com garrafas pet além de brinquedos como pula-pula, tobogã e piscina de bolas.
Dos menores aos “mais grandinhos”, o sorriso estava no rosto de todos eles. Aos 7 anos, Davi Floquet, conta que já participou de todas as edições do evento, sempre acompanhado da mãe. “É massa. Eu brinco até o final, até de noite”. Já Maria Clara, de 11 anos, confessou que estava encantada com tanto brinquedo. “Eu vim com minha avó e meus vizinhos. Estou nervosa. É muita coisa para brincar”, finalizou eufórica. 
O local ainda contou com pintura, balões e lanche. Todas as crianças receberam um kit lanche com biscoito, pipoca, batata frita, água, suco e refrigerante. “Este é um momento para agradecer, não só a comunidade que mora aqui próximo ao estádio mas principalmente para levar alegria a essas crianças que, muitas vezes, não têm o que ganhar no Natal ou nunca ganharam nada. Esse sorriso delas nos estimula a cada dia olhar mais para o outro”, ressaltou o presidente da Arena Fonte Nova, Dênio Cidreira.
Em outro canto do evento, diversas oportunidades para os adultos: era possível realizar exames para detecção precoce de doenças sexualmente transmissíveis, e aprender a prática de panetones com a turma de chefs de cozinha do Senac, e técnicas de maquiagem e de produção com materiais como jeans velhos, que deram lugar a árvores de natal e mandalas. A dona de casa Joseane Batista aproveitou o momento de descontração do filho para aprender um novo ofício com as criações de mandalas. “Nunca imaginei que um jeans já sem uso pudesse virar uma guirlanda assim. Vou aproveitar para aprender e ser mais uma renda para mim”, concluiu.
No começo da noite, a chegada do Papai Noel fez milhares de olhinhos brilharem. E o bom velhinho chegou já distribuindo bolas, carrinhos e bonecas para a garotada, todos doados por instituições apoiadoras do evento. Com paralisia cerebral, o pequeno Breno, de 5 anos, foi com a mãe e o irmão de 9 anos ver o Papai Noel. “Eu soube do evento e quis trazê-los para uma diversão diferente. Ver essa alegria dele [Breno] com o Natal é uma evolução. Ele entende tudo e fica realmente encantado”, contou, emocionada, Nélia Badaró.
Repórter: Patrícia Narriman