O Programa Estadual de Incentivo ao Esporte Amador (FazAtleta) completou 20 anos e na manhã desta sexta-feira (6) reuniu atletas, técnicos, empresários e apoiadores para uma cerimônia de comemoração. A iniciativa já apoiou 1.115 atletas baianos com investimento de R$ 68 milhões.

O programa está sob coordenação da Superintendência dos Desportos da Bahia (Sudesb), autarquia vinculada a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), e em 2019 teve investimento de R$ 4,5 milhões para apoiar 69 atletas.

Segundo o secretário da Setre, Davidson Magalhães, a expectativa é ampliar a oferta e alcance da iniciativa nos próximos anos. “Grande parte dos atletas baianos que ganharam medalhas e foram hankeados nacionalmente passaram pelo programa. Para os próximos anos a nossa intenção é fortalecer o FazAtleta, ampliar o programa e, cada vez mais, articular para que as empresas sejam sensibilizadas para este apoio ao esporte. A ideia também é interiorizar esta ação para que os atletas do interior da Bahia tenham acesso a essa informação”.

As empresas que apoiam o FazAtleta obtêm abatimento fiscal de 80% do valor total do projeto esportivo. Para conseguir o benefício, as empresas precisam contribuir com 20% do valor total do projeto.

A Companhia de Gás da Bahia (Bahiagás) é uma das patrocinadoras e o presidente da instituição, Luiz Gavazza participou do evento nesta sexta. “A Bahiagás apoia o programa há 12 anos e começamos apoiando o nadador Allan do Carmo no início da carreira e hoje ele é esse grande campeão. Somos muito gratos por termos condições de devolver à população baiana o acolhimento ao nosso produto. Além disso, estamos contribuindo para retirar jovens de situação de risco e colocá-los na vida ativa”.

Durante o evento houve homenagem para 12 empresas e 12 atletas que receberam um troféu alusivo aos 20 anos do FazAtleta. A nadadora paraolímpica, Verônica Almeida, que é apoiada pelo programa há 11 anos, foi uma das homenageadas. “O programa me levou a três paralímpiadas e esta ação é muito importante para os atletas de base, especialmente, para que consigam se formar e chegar ao alto rendimento com bons resultados”, ressalta.

Os atletas beneficiados pela iniciativa recebem bolsas entre R$ 1.200 e R$ 4.000. Além do recurso financeiro pago mensalmente, o programa inclui ainda o pagamento de despesas em viagens, aluguel de equipamentos esportivos, entre outros. Segundo a coordenação do programa, o FazAtleta é a única iniciativa do país que oferece esse tipo de suporte aos atletas.

Aos 13 anos, o judoca Matias Silva já compete há um ano e meio e recentemente ficou em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de Judô. “Essa ajuda do FazAtleta é muito importante pra mim. Com esse dinheiro ajudo meus pais e conseguimos fazer uma reforma da nossa casa e permite que eu possa focar nos meus treinos. Meu sonho é fazer parte da seleção brasileira de judô”, conta.


Repórter: Jairo Gonçalves