Estudantes da rede estadual de ensino tiveram 14 projetos de iniciação científica selecionados para a 18ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontecerá entre os dias 17 e 20 de março de 2020, em São Paulo – SP. Esta é a maior mostra de projetos de Ciência e Engenharia do país e reúne projetos desenvolvidos por estudantes dos Ensinos Fundamental, Médio e Técnico de todo o Brasil. Na rede estadual de ensino, os projetos dos estudantes foram desenvolvidos no âmbito do Programa Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, que fomenta o fazer ciência em sala de aula.

A estudante Graziela Silva Santos, 17, 2º ano, do Colégio Estadual Grandes Mestres Brasileiros, localizado em Matina, foi selecionada juntamente com os demais integrantes com o projeto “África sertaneja: memória africana na cultura nordestina”. “Pesquisamos a origem da dança ‘quebra canela’, que acontece na zona rural de Matina e a possível ligação com o continente africano. Estou muito contente com o resultado e com a possibilidade de ir apresentar o projeto fora do nosso Estado”, afirmou.

Victor Gabriel Brito de Melo, 18, 3º ano, do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Tecnologia Informação e Comunicação (CEEP), localizado em Lauro de Freitas, vai apresentar, com sua equipe, o projeto Ecotech. “Produzimos um documento que visa regularizar a questão do lixo eletrônico e, também, criamos o aplicativo Ecotech, disponível na Play Store, que mostra os pontos de coleta de lixo eletrônico em Salvador”, comentou o estudante.

Sobre a Febrace

A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista, que é realizado na Universidade de São Paulo (USP), em uma grande mostra de projetos. Dentre os objetivos da Febrace, destacam-se: estimular novas vocações em Ciências e Engenharia através do desenvolvimento de projetos criativos e inovadores; e aproximar as escolas públicas e privadas das universidades, criando oportunidades de interação espontânea entre os estudantes e professores das escolas com a comunidade universitária para uma melhor compreensão dos papéis das universidades em ensino, pesquisa, cultura e extensão.


Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado