O Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas, está sendo palco para os jovens estudantes da rede estadual de ensino apresentarem tecnologias de baixo custo e projetos científicos inovadores durante a 8ª Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (Feciba), que acontece até esta quinta-feira (12), no Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas. A feira visa estimular a relação ensino-aprendizagem e fomentar o protagonismo dos estudantes na construção do seu conhecimento, tendo a pesquisa como ferramenta que busca integrar todos os componentes curriculares e, com isso, promover o estudo interdisciplinar e lúdico.

Este ano, estão sendo apresentados 240 projetos de iniciação científica e que evidenciam o resultado do processo de pesquisa científica desenvolvido na rede estadual. Os projetos envolvem as diversas áreas do conhecimento como Matemática, Química, Física e História e abordam questões como tecnologia, empreendedorismo, sustentabilidade, meio ambiente entre outras.

O estudante Luis Gonzaga Júnior, 14, 8º ano, do Colégio Estadual Sete de Setembro, localizado em Salvador, está apresentando o “Dispositivo robótico para auxiliar a locomoção do deficiente visual”. “O protótipo robótico possibilita o deslocamento da pessoa com deficiência visual de modo autônomo, seguro e sem a utilização de bengala. O dispositivo possui sensores que monitoram a distância do objeto à pessoa com deficiência visual, que recebe um aviso através do motor de vibração sobre a proximidade do obstáculo”, explicou.

Também pensando na acessibilidade das pessoas com deficiência, Laiza Araújo Oliveira, 16, 1º ano, do Colégio Estadual Wilson Lins, do município de Valente, está compartilhando o projeto “E.CANE: bengala eletrônica de baixo custo para ambientes internos”. “Criamos um protótipo funcional com materiais de baixo custo, a exemplo de canos de chuveiro e de PVC, que favorece a condução dos deficientes visuais utilizando um microcontrolador Arduino, através de programação em linguagem C++. A bengala possui um sensor reflexivo que avisa se o caminho está livre de obstáculos e a distância dos objetos, através de um sensor”, comentou a estudante.

Para o estudante Gustavo Pereira dos Santos, 17, 3º ano, do Colégio Estadual Francisco da Conceição Menezes, em Santo Antônio de Jesus, que está apresentando o projeto “Eletrotênis”, a FECIBA é muito importante para a divulgação dos projetos científicos desenvolvidos nas escolas. “Desenvolvemos um protótipo para analisar a viabilidade da utilização de um tênis contendo um sistema de pastilhas piezoelétricas e mini placas solares como formas de produção de energia elétrica limpa e sustentável. Com ele, é possível carregar pequenas baterias e, futuramente, também será possível carregar celulares”, informou.

Além das apresentações dos projetos nos estandes, o evento também conta com mesas redondas sobre diversos temas. Nesta quarta, os participantes conferiram a mesa “A Educação Científica e as Políticas Educacionais do Estado da Bahia: perspectivas sobre olhar da Educação Integral, da Educação Profissional e Tecnológica, do Novo Ensino Médio e da Formação de Professores” e que contou com a participação da superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, Manuelita Falcão Brito; superintendente da Educação Profissional e Tecnológica da SEC, Ezequiel Westphal; o coordenador Executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Educação da SEC, Marcius de Almeida Gomes e o diretor de Inovação e Tecnologia do Instituto Anísio Teixeira (IAT), Iuri Oliveira Rubim.


Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado