Uma parceria firmada entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (SDE) e a Organização de Conservação da Terra (OCT), eleita em novembro melhor ONG de meio ambiente do Brasil, vai atrair novos investimentos sustentáveis para o Baixo Sul. A ideia é desenvolver a região de forma econômica, social e sustentável.
De acordo com o vice-governador e secretário da pasta, João Leão, a ONG desenvolve um trabalho sustentável importante com a comunidade local, formada por 11 cidades. “Queremos fortalecer o empreendedorismo local, em especial nos municípios de Ibirapitanga, Igrapiúna, Ituberá, Nilo Peçanha e Piraí do Norte. Vamos mobilizar empresários e investidores que estejam interessados em desenvolver negócios de forma econômica, social e sustentável”, afirma.
Atuando desde 2001 com o propósito de planejar e intervir na paisagem do Baixo Sul da Bahia, a OCT desenvolve um Programa de Recuperação e Conservação Ambiental e Produtiva. Em 2018, a ONG atingiu a marca de 245 nascentes restauradas, 115 unidades produtivas familiares atendidas e 300 produtores rurais capacitados em práticas agrícolas sustentáveis.
Para o diretor executivo da OCT, Joaquim Cardoso, o avanço das contribuições do Governo da Bahia, por da SDE, Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e de outras secretarias, fortalecerá o desenvolvimento local sustentável. “Nossa experiência na região servirá como modelo para reaplicação em outros territórios, naturalmente com seus ajustes e adaptações”, revela Cardoso. O diretor complementa que o reconhecimento do trabalho da OCT constituiu um patrimônio para extensão e aperfeiçoamento das ações que se realizam no Baixo Sul.
Fonte: Ascom/SDE