A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta quarta-feira (23), o I Encontro de Nutricionistas com a participação dos 36 profissionais aprovados no processo seletivo realizado este ano e que agora passam a compor o quadro da Coordenação de Alimentação Escolar da Secretaria da Educação, na capital e em todos os Territórios de Identidade da Bahia. Durante o encontro, os participantes fizeram uma formação, conheceram as ações desenvolvidas pela Secretaria para garantir uma alimentação nutritiva para os estudantes, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e discutiram sobre alimentação escolar e o papel do nutricionista.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, deu as boas-vindas aos nutricionistas e destacou a importância do trabalho realizado por eles. “Uma prova da preocupação do Governo da Bahia com a Educação, em especial com a alimentação, é a contratação de quase 40 novos profissionais que estão em cada núcleo acompanhando as escolas do território para poder planejar, orientar e discutir o cardápio, ver a qualidade da matéria-prima que está sendo comprada, formar as merendeiras e as pessoas que entregam a comida, mas, também, trabalhar dentro da escola com os professores”, destacou.

O superintendente de Planejamento Operacional da Rede Escolar, Manoel Calazans, falou das ações da Secretaria na área da alimentação escolar. “A ideia é que estes nutricionistas façam o monitoramento do PNAE e da execução dessa política na Bahia e dando um retorno para a Secretaria em relação ao que a gente persegue que é a qualidade. O Programa Nacional de Alimentação Escolar é um programa estruturante que toca na diminuição do combate à pobreza e, ao mesmo tempo, que mantem o aluno na escola com capacidade de aprendizagem por conta de estarem bem alimentados. Acreditamos que este acolhimento, essa formação e o monitoramento são muito importantes para a condução do Programa de Alimentação Escolar na rede estadual da Bahia”, afirmou.

Já o diretor de Agregação de Valor e Acesso a Mercados, da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Leonardo Lino Carvalho, falou da importância da Agricultura Familiar na alimentação escolar. “A Agricultura Familiar vem construindo o pilar da alimentação da sociedade brasileira e nós, que temos maior parte dos empreendimentos da Agricultura Familiar do Brasil, conseguimos produzir uma quantidade muito grande de alimento e a alimentação escolar, formada por este tipo de alimento, traz diversos benefícios para quem consome, pois se consolida numa base de produção agroecológica livre de agrotóxicos e de qualidade, favorecendo o acesso para que as escolas possam comprar produtos da própria região, valorizando a produção local”, ressaltou.

A nutricionista Deise Evangelista, que atuará na região de Teixeira de Freitas, disse que está na expectativa de colocar em prática todo o conhecimento. “Esta será a minha primeira experiência na área de alimentação escolar e estou muito entusiasmada para saber como será a nossa atuação nas escolas”, disse. Quem também está empolgada para começar as atividades é Júlia Uzêda, que irá acompanhar as escolas de Feira de Santana. “Conhecemos a legislação e o Programa Nacional de Alimentação Escolar para chegar no nosso núcleo e fazer o trabalho da forma mais correta e estou muito feliz com este novo desafio”, revelou a nutricionista.

Fonte: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado