As escolas das redes estadual e municipais de ensino da capital e do interior iniciaram, nesta segunda-feira (21), a aplicação das avaliações de Língua Portuguesa e Matemática do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que é fundamental para a definição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos Estados. As provas do Saeb serão aplicadas até o dia 1º de novembro em todo o Brasil, no horário regular das aulas. Na Bahia, mais de 460 mil estudantes devem fazer as avaliações.
As provas são direcionadas a estudantes do Ensino Fundamental (5º ano e 9º ano) e do Ensino Médio (3º ano e 4ª série da Educação Profissional). Em caráter amostral, este ano o Saeb também abrangerá o 2º ano do Ensino Fundamental e a Educação Infantil.
A estudante Maria Vitória Carvalho Silva, 18, 3º ano, do Colégio Modelo, localizado em Jequié, saiu otimista da avaliação. “Tanto a prova de Português quanto a de Matemática foram muito tranquilas de se responder. Além de avaliar o nosso aprendizado, as avaliações do Saeb também servem como uma preparação para o Enem, pois os conteúdos são bem diversos. Gostei muito da experiência”, afirmou.
O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou da importância da realização das avaliações. “As escolas das redes estadual, municipais e particulares estarão passando por este processo de avaliação e seu objetivo é justamente que o resultado ajude a União, o Estado e os municípios a orientarem suas políticas públicas voltadas para a Educação Básica brasileira”, salientou.
Jerônimo ainda ressaltou o papel das famílias e do regime de colaboração com os municípios neste processo. “Quero fazer um apelo aos pais e responsáveis para que nestas duas semanas os nossos estudantes possam frequentar as escolas com este espírito de fazer as provas com muita disposição e sem preconceito do que possa acontecer de resultado. Fizemos um esforço muito grande na área de formação de professores e com o nosso sistema de avaliação SABE, tendo uma boa relação com as secretarias municipais de Educação. Portanto, é isso que entendemos de regime de colaboração: a educação baiana é responsabilidade do Governo do Estado, dos municípios, dos empresários da Educação, dos familiares, dos próprios estudantes e percebemos que todos estão animados e envolvidos em prol de melhores resultados das escolas da Bahia”, finalizou.

Fátima Medeiros, coordenadora estadual do Saeb, ressaltou que a participação dos estudantes é fundamental. “Os agendamentos das aplicações estão sendo feitos com todas as escolas, com orientações para garantir uma maior participação dos estudantes e uma boa organização do processo. Isto é fundamental porque as escolas precisam garantir a participação de pelo menos 80% de estudantes para que o resultado da avaliação seja divulgado pelo Inep”, enfatizou.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado