Encontrar iniciativas e instituições sociais para realizar trabalhos voluntários ficou mais fácil desde o lançamento do programa ‘Bahia Estado Voluntário’, em setembro deste ano. Desenvolvida pelas secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e da Administração (Saeb), a plataforma digital possibilita que órgãos estaduais, ONGs e entidades privadas sem fins lucrativos cadastrem projetos no site do programa, além da inscrição de voluntários maiores de 18 anos nas ações que tenham interesse em atuar.

Em menos de um mês de execução, o programa já conta com 28 projetos e ações cadastrados, 435 oportunidades disponíveis e mais de 489 voluntários inscritos, dispostos a fomentar a prática do voluntariado em toda a Bahia, através de iniciativas de esporte, hortas comunitárias, educação, melhoria da qualidade de vida de públicos vulneráveis, entre outros, cujo benefício se estende a pessoas de todas as idades.

O projeto Formando Cidadãos do Amanhã, do Centro de Convivência Instituto Baiano da Paz – Salvador Pela Paz, é uma das instituições cadastradas no Bahia. Estado Voluntário, focada no aprendizado de crianças de 6 anos até adolescentes de 17 anos. São cinco oportunidades para auxiliar o trabalho desenvolvido em Informática Básica e Formação Cidadã, no Centro Social Urbano (CSU) de Castelo Branco, em Salvador.

Para quem busca trabalho voluntário pautado em transformação social, o projeto Nosso Bordado, da Associação de Mulheres Rendeiras do município de Dias d’Ávila, oferta 20 vagas direcionadas à realização de cursos gratuitos e oficinas voltadas para a geração de renda, valorização social, fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, autonomia e empoderamento de mulheres da região.

“Esse é um programa que vem ganhando adesão da população porque a gama de projetos está sendo ampliada a cada dia. Nós precisamos, cada vez mais, do espírito de solidariedade, do voluntariado e da construção de uma sociedade justa, onde as pessoas se ajudem e contribuam para buscar a justiça social”, afirma o secretário da SJDHDS, Carlos Martins.

Valorização da Vida

Outra entidade que aderiu à plataforma de voluntariado da Bahia é o Centro de Valorização da Vida (CVV), que realiza, diariamente, apoio emocional e prevenção ao suicídio para pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato, pelo telefone 188 (24 horas), e-mail e chat da entidade. Por meio do projeto Escutando nas Madrugadas, o CVV, que tem sede no bairro de Nazaré, em Salvador, está buscando aumentar a disponibilidade dos serviços de acolhimento das 23h às 3h e das 3h às 7h, pelo baixo número de voluntários nestes horários, segundo a coordenadora, Josiane Rocha.

De acordo com a gestora, para além de captar voluntários e números, a plataforma deve ajudar a transformar a cultura do voluntariado. “Muitas pessoas acham que ser voluntário é fazer de qualquer jeito e a qualquer hora, mas, na verdade, não é isso. É ser compromissado, ter disciplina e, no tempo disponível, assumir responsabilidades, se doar e se dedicar”, reforçou.

Até o momento, doze candidatos a voluntários se cadastraram para atuar no CVV pelo Bahia. Estado Voluntário. Antes de serem considerados aptos para a atividade, eles precisam passar por uma capacitação.

Como funciona

Para participar, órgãos e entidades sem fins lucrativos e voluntários devem preencher cadastros específicos no site www.estadovoluntario.ba.gov.br. No caso das entidades, é necessário apontar itens como o CNPJ e a razão social. Já pessoas físicas que queiram realizar a atividade devem indicar os dias e horários disponíveis, além das áreas de atuação nas quais têm interesse em participar.

Ainda existe a possibilidade dos candidatos receberem convites para participar de projetos adequados ao seu perfil. Caso aceite, o candidato aguardará a aprovação do gestor do projeto, que também deve monitorar e avaliar o desempenho dos voluntários, a fim de validar o certificado de participação ao final do trabalho.

Fonte: Ascom/ SJDHDS