Em comemoração ao Dia Internacional da Pessoa Idosa, celebrado no dia 1º de outubro, um ato foi promovido pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e o Conselho Estadual da Pessoa Idosa, na manhã desta quarta-feira (2), no Largo Quincas Berro D’água, no Pelourinho. O evento teve a participação do público idoso e contou com exposição de artesanato, serviços de saúde e um café da manhã especial.

Na ocasião, foi realizada apresentação de samba de roda do grupo Fonte de Alegria do Centro Social Urbano da Liberdade. O secretário de Justiça, Carlos Martins, explica que o ato intercultural é uma forma de chamar atenção para a pessoa idosa. “A Bahia tem hoje 2 milhões de pessoas idosas, nos últimos dez anos essa população passou de 10% para 15%. Além disso, pesquisas indicam que até 2030 teremos 3 milhões de pessoas idosas no estado, ou seja, acima de 60 anos. É preciso uma atenção especial à essas pessoas que hoje sofrem violências físicas, psicológicas, abuso financeiro e até mesmo fome”.

Ainda de acordo com o secretário, há dados preocupantes, como por exemplo, dos registros na Delegacia Especial de Atendimento ao Idoso, 18 registros são realizados por mês, ou seja, a cada dois dias um idoso é agredido. Carlos Martins afirma que 56% das agressões e crimes contra idosos são cometidos por um familiar e 85% dos casos ocorre no ambiente familiar.

“A gente precisa se preocupar com este cenário e colocar para a sociedade que políticas públicas, acolhimento e toda uma atenção especial deve ser ofertada aos idosos para que a gente possa melhorar a qualidade de vida dessas pessoas. Nos Centros Sociais Urbanos temos políticas públicas que valorizam os idosos e oferecem atividades a este público em que 56% têm problema de hipertensão e 42% diabetes. Eles precisam estar em movimento é essa é a ideia que queremos passar no dia de hoje” acrescenta Carlos Martins.

Para o presidente do Conselho Estadual da Pessoa Idosa, Padre Zé Carlos, ressalta que é necessário chamar atenção para a invisibilidade dos idosos. “A sociedade teima em não reconhecer a Pessoa Idosa e por isso relega a um terceiro ou quarto plano. Existe a necessidade de eventos como esse para que a gente celebre e mostre a presença do idoso na sociedade. O idoso não é uma coisa descartável, ele precisa de atenção, acolhimento, cuidados, saúde, educação, trabalho e que deve ser respeitado e valorizado no quadro social que vivemos hoje”.

Aos 70 anos, Iraildes Porto integra o grupo de samba de roda do Centro Social Urbano (CSU) da Liberdade e “com muita vontade”, como faz questão de pontuar. “O idoso não tem que sentir velho, acabado e muito menos ficar em casa tomando conta de neto. Temos que estar na rua, se distraindo e aproveitando a vida, que é uma chance única”.

Um ato religioso com representantes da igreja católica, evangélica, de centro espírita e das religiões de matrizes africanas também foi realizado na manhã desta quarta. A programação festiva no Pelourinho segue até o final da tarde com apresentações culturais de samba de roda, acupuntura, entre outras.

Repórter: Jairo Gonçalves