A 2ª edição do Concha Negra começa no dia 16 de novembro, em pleno Mês da Consciência Negra. A Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA) dá a largada de uma programação que exalta a riqueza da produção musical afro-baiana no maior equipamento cultural da Bahia. Quem faz as honras da abertura do projeto, lançando uma agenda que aquecerá todo o verão soteropolitano, será a banda ÀTTØØXXÁ no show ‘Bailaum Black Bvng’, com a presença do rapper paulistano Rincon Sapiência como convidado. Para aquecer a noite, performance do grupo de dança Ballet Vip. O evento se inicia às 18h30 e ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), à venda na bilheteria do TCA, nos SACs dos shoppings Barra e Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido.

Uma das grandes sensações da nova música baiana, ÀTTØØXXÁ carrega sons periféricos ao que há de mais contemporâneo na produção da bass culture mundial. Vem das ruas, de sua linguagem própria – falada, visual e corporal –, esta nova música pop da Bahia. Experimentalismos e ressignificação da música popular são os pilares desta revolução. Liberdade, respeito e ancestralidade costuram hits que convidam o corpo a se reconhecer, amplificando vozes, rompendo barreiras e mergulhando numa estética transcendental e afrofuturista, distante de clichês.

No Concha Negra, o grupo propõe um espetáculo comprometido com o desejo de recriar o passado, lembrando do que se foi feito esquecer, e transformar o presente, em um evento protagonizado por pessoas negras, projetando assim um novo futuro através da sua própria ótica. São artistas que constroem tecnologias, ferramentas, cosmologias, comportamentos e pensamentos, provocando a reflexão do lugar do negro na sociedade para construir outras possibilidades e lugares.

Para dividir o palco, Rincon Sapiência traz à cena a originalidade de suas composições, marcadas por influências das músicas africana, eletrônica, jamaicana e vertentes do rock. Reconhecido com alguns dos mais importantes prêmios da música brasileira contemporânea, ele traduz em versos sagazes as experiências vividas na periferia paulistana, abordando questões raciais e sociais no contexto da metrópole. Um rap com clima de positividade, sem prejuízo à postura crítica do discurso, resultado da sua notável fome de rima aliada à habilidade de jogar com as palavras.

Sobre o Concha Negra

O Concha Negra é uma iniciativa do Governo da Bahia que se compromete a fomentar a diversidade cultural da Bahia, suas tradições e patrimônios, garantindo o lugar da música afro-baiana na programação mensal da Concha Acústica do Complexo do TCA. Sua realização parte de premissas das políticas reparatórias previstas na constituição do Estado da Bahia e no Estatuto da Igualdade Racial. Assim, o incentivo a mais um canal de visibilidade e acesso a esta produção se alinha a condutas que reconhecem a cidadania cultural, a importância da representatividade e a afirmação de identidades, combatendo preconceitos e valorizando a expressão das variadas manifestações humanas. A primeira etapa do projeto foi realizada entre setembro de 2017 e fevereiro de 2018, com shows de Filhos de Gandhy, Muzenza, Ilê Aiyê, Cortejo Afro, Olodum e Malê Debalê.

Nesta 2ª edição, através de convocatória pública, nove propostas foram selecionadas dentre 59 inscritas e vão se apresentar até fevereiro de 2020. Depois de ÀTTØØXXÁ, virão Ilê Aiyê (7 de dezembro), Sine Calmon e Morrão Fumegante (14 de dezembro), Olodum (11 de janeiro), Baco Exu do Blues (18 de janeiro), Lazzo Matumbi (25 de janeiro), Gerônimo Santana (1º de fevereiro), Margareth Menezes, Afrocidade e Luedji Luna (8 de fevereiro) e Panteras Negras (15 de fevereiro).

Concha Negra – Bailaum Black Bang

ÀTTØØXXÁ convida Rincon Sapiência
Abertura: Ballet Vip
Quando: 16 de novembro de 2019 (sábado), 18h30
Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves
Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Vendas: Bilheteria do Teatro Castro Alves, SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou canais da Ingresso Rápido.
Classificação indicativa: Livre

Fonte: Ascom/ TCA