Mais de 100 servidores do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Bahia (Ipac), autarquia vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult), participaram de um Curso de Brigada de Incêndio oferecido em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar (CBMBA). O treinamento incluiu aulas teóricas e práticas, com os servidores divididos em quatros turmas. A última edição ocorreu na tarde desta terça-feira (15), no Departamento de Ensino do CBMBA, em Simões Filho.
Durante a ação, os servidores foram orientados sobre como atuar em situações de prevenção e combate a incêndio; os tipos de extintores e como utilizá-los; como conter o fogo da válvula do botijão de gás; além de dicas de primeiros socorros. Cada participante receberá um certificado emitido pelo próprio Corpo de Bombeiros. As aulas tiveram duração de 16 horas. 
O tenente Gilvã Rodrigues, responsável por ministrar o treinamento prático, explicou que “o objetivo é orientar os funcionários dos museus e do Ipac em como proceder nas situações de risco, quais os tipos de incêndios que existem, por que o incêndio acontece, além de noções básicas de simulação". 
A servidora Cintia Oliveira destacou a relevância do treinamento. “Trabalhamos num local onde as ocorrências de incêndios acontecem com frequência [Centro Histórico]. Então, precisamos dessas orientações para evitarmos algum tipo de acidente e, caso ocorra, saberemos como agir”, disse. 
Foto: Fernando Barbosa
(Foto: Fernando Barbosa)
Para Denise Moitinho, servidora do Museu de Arte da Bahia (MAB), o curso de brigadista também é essencial para quem trabalha nesses espaços, já que são ambientes que agregam acervos valiosos. “Aprender esses procedimentos básicos de combate a incêndio e de como usar os equipamentos corretamente é muito importante para que possamos preservar esses documentos e também para saber como devemos agir em situações de urgência”, declarou.
Fonte: Ascom/Ipac