Utilizar a arte, a cultura e a comunicação para construir e disseminar novas narrativas sobre suas comunidades, seus corpos, subjetividades e identidades de gênero e de raça. Esse foi o desafio lançado a 160 jovens que vivem em bairros periféricos de Salvador e participam do Programa Corra pro Abraço Juventude, promovido pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).
Os resultados da imersão em diferentes linguagens de comunicação serão expostos nesta terça (24) e na quarta-feira (25), em mostras culturais gratuitas, nos bairros de Fazenda Coutos, Plataforma, Boqueirão/Nordeste de Amaralina e Beiru, na capital baiana. São nesses territórios que ocorrem as atividades formativas com as/os jovens, sob coordenação da Comunicação Interativa (Cipó). 
As fotografias, vídeos, peças de design e ações culturais são resultado de um amplo processo formativo realizado com jovens que vivem em situação de vulnerabilidade social, seja pelo território em que vivem, pela cor da pele, pela baixa escolaridade ou pela não inserção no mundo do trabalho. “No processo de criação, as/os jovens trazem à tona todo o seu potencial criativo, dinâmico e mobilizador. Por outro lado, emergem também questões ligadas às violências por elas/es sofridas, pelos conflitos de identidade, enfrentamentos comunitários e familiares”, explica o coordenador da Cipó e do Corra pro Abraço Juventude, Leandro Vilas. 
Em paralelo às formações em linguagens de comunicação, os jovens do Corra pro Abraço participam de oficinas de desenvolvimento pessoal e social, onde são estimulados a refletir sobre projetos de vida. Eles participam ainda de atividades de Redução de Riscos e Danos e recebem orientação jurídica, além de suporte no acesso à rede pública de atenção e cuidado.
Programação
O ciclo de exposições será aberto nesta terça (24), com a mostra fotográfica ‘Expressão Periférica’, das 9h às 17h, no Centro Comunitário Biblioteca Zeferina Beiru (Rua Gilberto Bastos, s/n, Arenoso, Beiru). Nas fotografias, a turma utiliza o corpo como suporte para questionar assuntos como racismo, identidade de gênero, masculinidade tóxica, trabalho infantil e outros temas que perpassam seus cotidianos. Além da exposição das fotos, serão realizadas oficinas, intervenções poéticas, batalhas de hip hop e distribuição de fanzines e cartilhas para a comunidade.
Também na terça (24), das 9h30 às 16h30, o território de Fazenda Coutos sedia a mostra de vídeo ‘Meus Espelhos’. Realizado na Escola Municipal de Fazenda Coutos (Alameda Almirante Marques de Leão, Fazenda Coutos III), o evento terá uma programação diversificada, composta por apresentações culturais, mesa redonda e exibição dos vídeos produzidos pelas/os jovens. As obras audiovisuais apresentam como temas o suicídio e a LGBTfobia, problemas que vem sendo evidenciados pela juventude de forma frequente.
A programação de mostras segue na quarta-feira (25), com o ‘Festival Di Quebrada’, resultado da formação dos jovens em Produção Cultural. Desta vez, é a comunidade de Plataforma que sedia o evento, composto por intervenções de dança, música, capoeira, roda de conversa, cortejo percussivo e oficinas de maquiagem e penteados afro. O festival será das 9h às 17h, no Centro Recreativo de Plataforma (Praça São Braz, nº 27, Plataforma).
Jovens do Boqueirão fecham o ciclo de exposições artísticas com a mostra ‘Juventude Boqueirarte”, na quarta-feira (25), das 10h às 12h, na Praça Nova República (Av. Nova República, em frente à Associação de Moradores). No evento serão exibidos os resultados das oficinas de Design Têxtil, que teve duração de quatro meses. Por meio de técnicas de tecelagem, tingimento com pigmentos naturais e estamparia, os jovens materializaram nos tecidos suas identidades, subjetividades e construções afirmativas de juventude.
Fonte: Ascom/Corra pro Abraço