A Bahia foi escolhida pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta terça-feira (17), para ser a próxima sede brasileira do Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA), em 2021. A edição do próximo ano ocorrerá em Munique. O evento reúne empresários interessados em estreitar relações, fechar parcerias, fazer intercâmbio de tecnologias e efetivar negócios.
"Já temos oito empresas alemães de peso operando na Bahia: Basf, Continental, Bosch, Sowitec, Siemens-Gamesa e Knauf. Tenho certeza que os contatos que o Governo do Estado fez na EEBA, em Natal, vai render novos investimentos. Receber a edição de 2021, aqui, será ainda mais estratégico para fecharmos novos negócios e gerarmos mais  empregos para os baianos", comemorou o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, João Leão. 
O governo baiano montou um estande no evento e apresentou as potencialidades de investimentos no estado, integrando os campos da economia (SDE), turismo (Setur), planejamento (Seplam) e cultura (Secult). Produtos da agricultura familiar produzidos na Bahia também foram expostos pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). 
Foto: SDE
(Foto: SDE)
"O EEBA é uma ótima oportunidade para que as empresas alemãs conheçam melhor nossas oportunidades de investimento e nosso ambiente de negócios, motivos pelos quais a Bahia pleiteou sediar este evento em 2021, quando voltará a ser realizado no Brasil", explicou o superintendemte de Atração de Investimentos e Fomento ao Desenvolvimento Econômico da SDE, Paulo Guimarães. 
O EEBA é organizado pela Federação das Indústrias Alemãs (BDI) e pela CNI, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK).
Fonte: Ascom/SDE