Superar os obstáculos e buscar o avanço do estado investindo em conhecimento. Essa é a força motriz da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), que comemorou 18 anos de fundação em solenidade nesta terça-feira (3). O evento lotou o Espaço Lazareto, na Federação, com a presença e a participação de diversos representantes de instituições acadêmicas, empresas e do poder público com discursos concordantes na defesa da pesquisa em todo o país.
Na ocasião, o diretor-geral da Fapesb, Márcio Costa, ressaltou alguns dados sobre a fundação, como os mais de 200 editais lançados, os mais de 7,7 mil projetos contratados, e o recente ‘Centelha Bahia’ – programa para contemplar negócios inovadores – com número líder em ideias submetidas em todo o Nordeste e um dos maiores a nível nacional. 
Também presente no evento, a secretária da Secti, Adélia Pinheiro, defendeu a importância do investimento em pesquisa e sua divulgação. “São 18 anos de história e de muito aprendizado. Estamos absorvendo as lições e projetando o nosso futuro. Para isso, já encaminhamos a proposta de atualização da legislação de CT&I, para atender as demandas mais atuais, através deste marco regulatório”, destacou. 
A solenidade foi seguida do 9º Diálogos para Inovação e Empreendedorismo, que abordou o Marco Regulatório de CT&I, e foi liderada pelo chefe de gabinete da Secti, Gesil Amarante, que reafirmou a relevância de “atualizar a legislação da Bahia para que o sistema de ciência, tecnologia e inovação continue funcionando, e, consequentemente, dando mais espaço para que a Fapesb possa se expandir e contribuir ainda mais para o cenário científico do estado”. 
A palestra também incluiu explanações do superintendente da Secretaria de Planejamento (Seplan), Ranieri Barreto, e do chefe do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento da Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE), Ailton Cardozo.
Foto: Secti
(Foto: Secti)
A mesa de abertura foi composta ainda pelo reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Evandro Silva, pelo reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Ifba), Renato Filho, pelo presidente da Academia de Ciências da Bahia, Jaison Bittencourt, e pelos secretários estaduais de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, e do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Davidson Magalhães, entre outras autoridades. 
Também participaram representantes de instituições que apoiam à pesquisa como o Instituto Euvaldo Lodi (IEL), a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais (SEI), a Universidade Federal da Bahia (Ufba), as universidades estaduais de Santa Cruz e do Sudoeste da Bahia (Uesc e Uesb).
Fonte: Ascom/Secti