A produção de ovos de galinhas caipiras está crescendo e transformando a realidade de cerca de 1,5 mil famílias apoiadas pelo projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). São 75 projetos implantados em toda a Bahia, que significam a criação de 600 mil galinhas e a produção de 480 mil ovos por dia.
Dado ao volume expressivo, a CAR está buscando verticalizar essa produção e, nesta terça-feira (20), gestores do projeto se reuniram com representantes da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Para o coordenador do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, o objetivo é viabilizar os investimentos que já foram feitos. “Precisamos que esses agricultores acessem mercado e tenham uma unidade apropriada para esta finalidade. Deixar os ovos em condições de irem para as prateleiras dos supermercados”, afirmou. 
O representante da Embrapa Agroindústria, sediada no Rio de Janeiro, Eduardo Henrique Miranda, apresentou uma proposta de planta agroindustrial que serve para o beneficiamento do ovo de galinha caipira. “A Bahia se adianta quando o assunto é agricultura familiar, e a Embrapa tem uma proposta que se encaixa nesse perfil. Uma unidade prática e com baixo custo”.
Segundo o assessor especial da CAR, Ivan Fontes, a proposta é de uma planta adequada, que vai recepcionar os ovos de galinha caipira, fazer as devidas classificações na embalagem. “Esses ovos já são comercializados nas comunidades rurais e nas feiras da cidade. Queremos fazer com que esses ovos cheguem ao mercado e atenda às características técnicas exigidas pela especificação animal”.
O diretor de Inspeção de Produtos de Origem Agropecuária da Adab, Willedesmon Santos, lembrou que, este ano, a agência regulamentou os requisitos estruturais para as agroindústrias da Bahia e aprovou as normas gerais. “O próximo passo são as normas específicas. Queremos passar a expertise para o Serviço de Inspeção Municipal (SIM), para que possam registar os seus estabelecimentos nessas normas. Estamos inserindo no nosso diálogo esse tema de ovos caipira”.
A proposta será estudada e, com as observações feitas pelos técnicos da agência, durante a reunião, sofrerá as alterações necessárias. Em outubro, o grupo se reúne novamente para discutir a implementação da ação.
Fonte: Ascom/SDR