Para alinhar as ações do Bahia Produtiva, projeto do Governo do Estado, foi realizada uma capacitação para Agentes Comunitários Rurais (ACRs) e Agentes Comunitários em Apicultura e Meliponicultura (ACAs), que atuam no Território Litoral Sul, nesta quinta-feira (1º) e sexta-feira (2), em Itabuna.
Os ACRs e ACAs são jovens das comunidades atendidas, contratados pelo projeto, para prestar assessoria comunitária, com atribuições que incluem o apoio a serviços administrativos das associações ou cooperativas e mobilização social da comunidade, além de exercerem a função de multiplicadores do conhecimento adquirido no serviço de assistência técnica e extensão rural (ATER).
A programação foi composta por debates sobre a execução de convênios, análise da importância do plano de trabalho, substituição de beneficiários, prestação de contas, além do nivelamento dos novos agentes comunitários, que entenderam sobre a execução das atividades.
O assistente territorial do Litoral Sul, Mateus Antônio Martins, explica que os ACRs e ACAs são muito importantes no Bahia Produtiva, pois são as pessoas que estão em contato com a associação, diariamente, e por isso precisam estar alinhados com o projeto identificando quais são as suas atividades e quais as necessidades de campo: “Falamos da importância de eles ajudarem a associação na organização, no planejamento das atividades, para que as associações venham elaborar os projetos de forma correta e que sejam produtivos”.
Atualmente, o projeto possui 387 Agentes Comunitários Rurais (ACRs) e 73 Agentes Comunitários em Apicultura e Meliponicultura (ACAs), que desenvolvem trabalho junto a associações e cooperativas atendidas em toda a Bahia. O Litoral Sul conta com 18 ACRs e 1 ACA.
O Bahia Produtiva é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinvulada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), a partir de um acordo de empréstimo com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). A iniciativa financia projetos de inclusão produtiva e acesso a mercados, socioambientais, de abastecimento de água e esgotamento sanitário, de interesse das comunidades rurais baianas.
Fonte: Ascom/SDR