As violências vivenciadas por adolescentes e jovens em contextos de vulnerabilidade social e as possíveis estratégias para diminuir essas violações serão debatidas nesta sexta-feira (30), das 08h às 18h, no auditório do Sindae, no Barris, em Salvador, durante a capacitação “Desafios para garantia de proteção e cuidado da adolescência e juventude” promovida pelo Programa Corra pro Abraço, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado da Bahia (SJDHDS). O evento é gratuito, aberto, e voltado para profissionais da rede de atenção psicossocial que atuam com estes públicos. Inscrições limitadas e disponíveis em: https://forms.gle/CrixfH5HqjzSMdK17

Durante o evento também será feito o lançamento da publicação “Guia referencial da rede de serviços de atenção e cuidado às pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas”, elaborado pela iniciativa estadual no intuito de contribuir com a articulação de serviços da rede pública e da sociedade civil, no atendimento à estes adolescentes e jovens e outras pessoas em contextos de vulnerabilidade afetadas pelo uso de substâncias psicoativas e/ou criminalização das drogas. “Essa atividade faz parte de uma série de capacitações promovidas pelo Corra desde julho de 2017. Mais de mil pessoas participaram, entre profissionais dos serviços (psicólogos, assistentes sociais, redutores de danos, entre outros), estudantes e pesquisadores/as que atuam com direitos humanos”, destaca Trícia Calmon, coordenadora geral do programa.

“Os processos formativos têm se mostrado fundamentais para o alinhamento de informações entre profissionais e colaboradores da rede de atenção psicossocial no atendimento, cuidado e acolhimento às pessoas em contexto de vulnerabilidade que são acompanhadas pelos serviços de saúde, justiça, serviço social e educação. E, por isto, a elaboração e distribuição do guia voltado para a rede é fundamental para o exercício da nossa ação de forma ainda mais articulada e que contemple à todos/as”, ressalta Denise Tourinho, superintendente da Superintendência de Políticas sobre Drogas e Acolhimento à Populações Urbanas Vulneráveis (SUPRAD/SJDHDS). Estão previstas falas de especialistas das Nações Unidas, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de profissionais da rede de atenção psicossocial e de jovens lideranças e ativistas.