Com o objetivo de fomentar políticas culturais voltadas para terceira idade, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult), por meio do Centro de Cultura Populares e Identitárias (CCPI) e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado da Bahia (Ipac), cria a Casa da Cultura do Idoso. A iniciativa, que cumpre as leis nº 12.365/2011 e 8.842/1994 (Política estadual de cultura e Política Nacional do Idoso respectivamente), vai oferecer oficinas de dança, teatro e artesanato para idosos, além de proporcionar a participação em manifestações populares, como o Terno de Reis e o Samba de Roda.

A criação do espaço foi marcada por um ato simbólico que ocorreu nesta terça-feira (30), no gabinete da Secult, com assinatura do termo de compromisso pela secretária estadual de cultura, Arany Santana, o diretor do CCPI, André Reis, e o chefe de gabinete do Ipac, Ackermann Leal. “Esta é uma demanda que precisávamos atender, e agradeço muito ao CCPI por ter tomado esta frente e ao Ipac pela rápida disponibilidade”, registrou a secretária.

Presente na cerimônia, a deputada federal e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara, Lídice da Matta, assinou como testemunha do ato. A deputada destacou que o Governo do Estado tem incentivado diversas ações para o segmento e que este ano acontecem as Conferências Municipais e a Conferência Nacional do Idoso.

Também participaram do ato o diretor da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo; o artista plástico Joaquim Assis, representante do grupo da terceira idade Eterna Juventude, e as professoras Nilsa Bomfim (representante da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos) e Antônia Maria de Almeida (representante do Conselho dos Idosos). Com um trabalho de mais de 20 anos acolhendo pessoas idosas de diversos bairros de Salvador, Joaquim se emocionou com a iniciativa da Secult. “Esta Casa de Cultura é a oportunidade de trazer os idosos como protagonistas da arte, mostrando à sociedade que eles têm potencial e ainda rendem, dando uma lição do que é viver”, declara.

Para o diretor do CCPI, André Reis, “a iniciativa de criar este espaço é uma demanda necessária e neste caso no Pelourinho, iremos desenvolver ações voltadas para as culturas populares, como o resgate do terno de Reis e do Samba de Roda”, explica. A inauguração oficial do espaço, na Casa 28, imóvel do Ipac localizado no Largo Quincas Berro d’Água, está prevista para outubro.

Fonte: Ascom/ Secult