Acontece na terça-feira (30), na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), em Salvador, a mesa temática “Heroínas de ontem e hoje: legados de resistência”, reunindo um conjunto de mulheres negras baianas e servidoras públicas estaduais. A atividade marca a passagem do 25 de julho, o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, data de intensas mobilizações do movimento de mulheres negras em diversos países. O evento na Alba começa às 14hs, com credenciamento no local, acesso gratuito e fornecimento de certificado ao público participante.

Estarão na mesa de debate, mediada pela escritora e ativista Lívia Nathália, a titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis; representantes do Ilê Axé Opó Afonjá e do Unzó Oniboyá, terreiros de atuação de Mãe Stella de Oxóssi e Makota Valdina Pinto. As lideranças religiosas, falecidas recentemente, serão homenageadas na oportunidade. O encontro também será marcado por um ato de desagravo às yalorixás Rosilene dos Santos (Vitória da Conquista) e Roselina Barbosa (Alagoinhas), que foram vítimas de intolerância religiosa recentemente.

A atividade é uma realização conjunta entre as secretarias de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), de Políticas para as Mulheres (SPM) e de Cultura (Secult), além da Comissão da Promoção da Igualdade da ALBA e Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra da Bahia (CDCN). A mobilização integra, ainda, o calendário da Década Afrodescendente na Bahia, somando-se às ações protagonistas das organizações de mulheres negras da Bahia.

Serviço:

Mesa “Heroínas de ontem e hoje: legados de resistência”.
Data: 30/07 (terça-feira), às 14h.
Local: Auditório da Assembleia Legislativa da Bahia (Centro Administrativo da Bahia – CAB).
Com: Titular da Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis; Tomázia Azevedo (representante do Ilê Axé Opó Afonjá); Alice Pinto (representante do Unzó Oniboyá);
Mediação: Profa. Lívia Nathália (escritora).