Estudantes dos colégios da rede estadual de Bom Jesus da Lapa celebraram, nesta segunda-feira (3), o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico. O evento é uma alusão à campanha ‘Eu viro carranca para defender o Velho Chico’, que ocorre, a nível nacional, em parceira com o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, nas cidades banhadas pelo rio. O objetivo é chamar a atenção da sociedade para a necessidade de preservação e revitalização de um dos mais importantes cursos d’água do Brasil e da América do Sul.
Na programação, atividades educativas, roda de capoeira e a peça teatral ‘Velho Chico: Histórias, Contos e Lendas’. No Teatro Municipal Ivonildes de Melo, ocorreu a exposição de artes ‘Diversidade de um rio: todo mundo virando carranca através da arte’ e uma caminhada em defesa do rio. 
A diretora do Núcleo Territorial de Educação de Bom Jesus da Lapa (NTE 02), Ayrleide Maria Pereira, participou da programação e destacou a importância do evento para o aprendizado e a conscientização dos estudantes. “Caminhamos com faixas, placas e cartazes para chamar a atenção da população e das autoridades para a preservação do nosso rio e das espécies que vivem nele. Nossos estudantes, como cidadãos, precisam saber sobre a história do lugar e pensar em formas de cuidar e defender o São Francisco, que é vital para o nosso município”, conta.   
Foto: Divulgação
(Foto: Divulgação)
Para a estudante Maria Clara Andrade, 15 anos, do 2º ano do Ensino Médio, do Colégio Estadual São Vicente de Paula, o uso inadequado das águas do rio e a estiagem, devido aos fatores climáticos, são prejudiciais para o crescimento do município e para o meio ambiente. “As pessoas precisam se conscientizar que, se não preservar, vai acabar. Nosso rio está sumindo cada dia mais e precisamos dele para irrigar as plantações, matar a sede dos animais e até movimentar o turismo da cidade”, pontua.  
Já Camila Santos, 17, também do 2º ano, afirma que o trabalho de conscientização é fundamental para a revitalização do rio. “Temos que cuidar do que é nosso. O Brasil é rico em recursos hídricos, mas o Velho Chico está vulnerável. Esta é a nossa forma de mostrar que estamos atentos e contamos com a colaboração da população para lutarmos juntos, para que o rio continue existindo”. 
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado