As vendas no comércio varejista baiano cresceram 2,1% em abril de 2019, quando comparado a igual mês de 2018. No varejo nacional, o volume de negócios expandiu 1,7%, em relação à mesma base de comparação. Na análise sazonal, a taxa do comércio varejista no estado baiano registrou taxa positiva de 0,9%, sendo a terceira maior entre as unidades federativas. 
Os dados foram apurados pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizada em âmbito nacional, e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).
“A recuperação do comércio varejista em abril está associada ao aumento dos empregos, com a geração de mais de 10 mil postos formais nesse mês, reflexo dos investimentos e de políticas acertadas do Governo do Estado. Vale destacar que a Bahia é o estado que lidera o Nordeste na geração de emprego”, destaca o secretário do Planejamento, Walter Pinheiro.
O resultado das vendas do varejo baiano revela que o setor volta a ser influenciado pelos estímulos das comemorações do período. Em 2018, o feriado da Páscoa ocorreu em março, enquanto em 2019 foi no mês de abril. 
Foto: Elói Corrêa/GOVBA
(Foto: Elói Corrêa/GOVBA)
Segmentos
Por atividade, os dados do comércio varejista do estado da Bahia, quando comparados a abril de 2018, revelam que cinco dos oito segmentos que compõem o Indicador do Volume de Vendas registraram comportamento positivo: Tecidos, vestuário e calçados (9,1%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,6%); Móveis e eletrodomésticos (4,8%); Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,5%); e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,0%). 
A contribuição de maior peso para o setor foi de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, segmento de maior representatividade para o Indicador de Volume de Vendas do Comércio Varejista.
Fonte: Ascom/Seplan