O Parque do Queimado, localizado entre os bairros da Soledade, Liberdade e Caixa d’Água, em Salvador, está sendo preparado para inauguração como a primeira sede dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba), prevista para ocorrer em julho. Se integrando aos preparativos, a Companhia de Desenvolvimento Urbano (Conder), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur), finaliza a recuperação de muros e paredes no local. 
A Conder está recuperando 390 metros lineares do muro (faces interna e externa) com lavagem, raspagem, emassamento e pintura. O muro remonta mais de 100 anos, separando a Rua Saldanha Marinho do parque, na ladeira para o bairro da Caixa d’Água. A equipe da Conder é composta por pintores, pedreiros e ajudantes. Estão sendo recolocadas ainda 1,2 mil telhas coloniais que compõem a arquitetura da parte superior do muro. 
História 
O parque é protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Nacional desde 1997. A área a ser inaugurada, de 10 mil metros quadrados, começou a ser explorada há 400 anos por padres jesuítas, por volta de 1600. Depois, a partir de 1852, sediou a primeira estação de tratamento e distribuição urbana de água do Brasil, inaugurada pelo imperador D. Pedro II em 1859. 
Em 1971, foi fundada a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), vinculada ao Estado. Em 1989, ocorreu a inauguração do Centro de Memória da Água no local. Já em 2018, foi iniciada a requalificação do local para sediar o Programa Neojiba. O parque guarda importantes remanescentes arquitetônicos, urbanísticos e ambientais.
Para que a mudança fosse viabilizada, o Governo do Estado investiu R$ 13,5 milhões, divididos entre a gestão estadual e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O Neojiba é uma ação de política pública do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). 
Foto: Geraldo Moniz
(Foto: Geraldo Moniz)
 
Centro Antigo de Salvador 
O diretor de Habitação e Urbanização Integrada (Dihab) da Conder, Maurício Mathias, lembra que “a Conder vem realizando uma série de ações para a recuperação e conservação de áreas históricas, em toda a poligonal do Centro Antigo de Salvador [CAS]”. Ele destaca ainda o Parque faz parte da história da Bahia, além de ser um marco da engenharia do Brasil. “A recuperação deste espaço representa o resgate de parte da nossa cultura e segue a política do Governo do Estado em valorizar nosso patrimônio”, ressalta. 
A Conder utiliza andaimes metálicos e plataformas aéreas para alcançar as partes mais altas do muro que atinge até 10 metros de altura. As ‘cabeças’ dos pilares do muro que estão faltando também foram restauradas. As técnicas obedecem a padrões utilizados em patrimônios tombados.
 
Pelas Ruas
Ainda na região, o Governo do Estado, por meio da Conder, está recuperando ruas da Liberdade e bairros próximos, como Soledade, Lapinha, Barbalho, entre outros, como parte do projeto ‘Pelas Ruas do Centro Antigo de Salvador’. Com um investimento de R$ 124 milhões, a iniciativa promove a requalificação de calçadas, com melhorias na acessibilidade, e pavimentação de 313 vias. 
Ao todo, estão sendo contemplados 15 bairros que integram a região antiga da cidade, incluindo o Centro Histórico de Salvador, área tombada pelo Iphan.