O Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), por meio do 7º Grupamento de Bombeiros Militar (7°GBM) de Vitória da Conquista, concluiu o curso de primeiros socorros para guias turísticos da cidade de Rio de Contas, na Chapada Diamantina, nesta sexta-feira (7). O objetivo foi capacitar os condutores ecológicos para que eles saibam o que fazer em casos simples, como insolações, ou mais complexos, como uma parada cardiorrespiratória (PCR), até a chegada de equipe de emergência especializada.
Durante as aulas, que duraram dois dias e uniram teoria e prática, os guias ecológicos aprenderam sobre os diversos tipos de traumas, além de situações como queimaduras, desmaios e também como reconhecer uma PCR. O grupo foi capacitado para dar os primeiros atendimentos com o máximo de qualidade possível, especialmente em locais de difícil acesso.
"Já é sabido que um primeiro atendimento adequado com qualidade faz a diferença na recuperação do paciente. A capacitação foi totalmente pensada de acordo com a realidade da região e com as necessidades dos guias turísticos, usando como norte o protocolo de Suporte Básico de Vida da American Heart Association", explicou o tenente BM Álvaro Serrão, idealizador e coordenador do projeto.
O tenente, que ministrou as aulas de suporte básico de vida juntamente com o cabo BM Cristiano Silva, destacou ainda que a idealização da atividade ocorreu no ano passado, "enquanto capacitávamos brigadistas voluntários de combate a incêndios florestais através do programa Bahia Sem Fogo. E somente aconteceu graças à visão de difusão de conhecimento e boas práticas da corporação e do apoio da Secretaria do Meio Ambiente do Estado [Sema]". 
Afogamentos
Durante o curso, os condutores ecológicos também tiveram aulas de noções de primeiros socorros ao afogado, ministradas pelos soldados BMs Rodrigo Benigno e Jorge Marinho. Quando o aprendizado sobre os tipos de trauma relacionadas ao meio líquido, com suas peculiaridades, é alinhado aos conhecimentos de primeiros socorros para tais situações, as chances da vítima ter uma melhor recuperação são maiores. 
“Nosso foco é sempre a prevenção, mas também tratamos sobre procedimentos básicos a serem adotados em caso de afogamentos ou de traumas em meio líquido”, complementou o soldado BM Benigno. Dentro das 20 horas de atividade, os bombeiros demonstraram que até mesmo alguém que não saiba nadar tem condições de tentar ajudar alguma vítima de afogamento sem colocar a sua vida em risco, seguindo as recomendações da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático.
Os cursos oferecidos aos guias turísticos são totalmente gratuitos e certificados. Qualquer prefeitura pode solicitar o serviço ao Grupamento de Bombeiros Militar da região. Para isso, basta acessar o site do CBMBA e verificar a unidade mais próxima.
Fonte: Ascom/CBMBA