O incentivo à concessão de imóveis do Governo do Estado para a iniciativa privada, a fim de dinamizar a economia do Centro Antigo de Salvador, foi discutido pelo secretário estadual do Turismo, Fausto Franco, com representantes do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB-BA), na quinta-feira (23).

O gestor explicou que o diálogo sobre a utilização de espaços públicos pela iniciativa privada está aberto e já produziu bons resultados, como o apoio de vereadores de Salvador à proposta relativa ao Palácio Rio Branco, situado na Praça Municipal. "O governo estabeleceu condicionantes, como a preservação de características arquitetônicas e históricas dos edifícios. No caso específico do Palácio Rio Branco, a empresa interessada precisará manter a fachada em sua integralidade, assim como o Memorial dos Governadores aberto à visitação pública gratuita", disse Fausto, acrescentando que, além de preservar o patrimônio, a concessão ao privado assegura novos investimentos e impulsiona o turismo e a geração de renda em uma das áreas mais importantes da capital baiana.
Setur
(Foto: Ana Paula Cabral/ Ascom Setur)

De acordo com a presidente do IAB-BA, Solange Araújo, a iniciativa é válida, mas é preciso levar em conta o valor histórico e artístico dos imóveis. “No caso do Palácio Rio Branco, solicitamos o tombamento ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), em 2015. Defendemos que seja mantido íntegro”, disse a arquiteta.

O debate com o IAB-BA está mantido e um novo encontro será realizado para dar prosseguimento à análise do assunto. Nesta primeira conversa, também estiveram presentes o vice-presidente do IAB, Neilton Dórea e o conselheiro Daniel Colina.
Fonte: Ascom/Secretaria de Turismo do Estado (Setur)