Estimular a inovação em busca de soluções para os problemas do cotidiano. Esse é um dos principais objetivos do Hackathon Solidário, que tem apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti). O desafio acontece nos dias 4 e 5 de maio (sábado e domingo), na sede da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), em Salvador. A maratona de programação, que é organizada pelo Centro de Estudos do Subúrbio e pelo Grupo Bagunçaço, deve durar 36 horas, com premiação programada para as 16h de domingo, com a presença de autoridades e de Kevin Brosnahan, representante do consulado dos Estados Unidos no Brasil.

Nesta edição do Hackathon Solidário, que foi aprovado pelo edital USBEA Bahia + Acbeu Small Grants Contest do Consulado dos Estados Unidos – Rio de Janeiro, as oito equipes receberão um desafio com a temática envolvendo o problema de insustentabilidade econômica e social das associações, ONGs, organizações da sociedade civil. Desta vez, o processo de seleção das equipes ocorreu pela indicação das próprias instituições de ensino da Bahia.

Além da Secti, o Hackathon Solidário conta com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado (SDR), da Unifacs, da Festech, da Startonapp e inúmeras associações e organizações da sociedade civil. Essa será a primeira vez na Bahia que um hackathon vai ajudar na resolução de problemas de organizações sociais. A premiação para a equipe vencedora será de R$ 3 mil, enquanto o 2º e 3º lugares recebem R$ 1 mil e R$ 500, respectivamente.

O Hackathon, que é uma maratona de programação, tem sido realizado por empresas e governos na busca de soluções criativas e inovadoras para os problemas existentes nas organizações. Esses desafios têm mobilizado jovens pelo país, sejam estudantes e profissionais, das áreas de programação, design, gestão e outras, interagindo o saber técnico, a criatividade e a juventude, criando um ambiente de " jogo", de competição e com foco no resultado.

Fonte: Ascom/Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti)