Ampliação da desconcentração da rede assistencial, regionalização da saúde, tornando os territórios autossuficientes e ênfase nas demandas das populações vulneráveis. Esses foram alguns eixos de discussão da mesa programática do Plano Plurianual Participativo (PPA-2020/2023) sobre a área da saúde, realizada nesta quarta-feira (29), na Secretaria do Planejamento (Seplan), em Salvador. 
O debate sobre as políticas públicas da saúde registrou a participação de representantes de 10 secretarias do estado. “É a primeira vez que estou participando da construção de um PPA, e é uma riqueza imensa, porque a gente acaba conhecendo o Estado de uma forma bem macro”, disse a assessora de Planejamento e Gestão (APG) da Secretaria da Saúde (Sesab), Emanuele Barbosa. 
Ainda segundo Emanuele, para a Sesab, o processo é de suma importância. “Porque trabalhamos com a transversalidade das atividades e conseguimos enxergar que a secretaria não é uma ilha. Ela deve estar conectada com os outros setores e atividades do Estado”, resumiu. 
Para a APG da Secretaria da Segurança Pública (SSP), Silvana Salomão, que participa pela segunda vez do processo, a construção do documento referente aos anos de 2020 a 2023 está com discussões mais aprofundadas. “Tenho certeza de que este agora será muito melhor do que o que está em vigor [2016/2019], pois percebi um amadurecimento muito grande dessa dinâmica, com mais maturidade de todos”, destacou.
Especificamente sobre a segurança pública, Silvana ressaltou que a interação com as áreas sociais, de saúde, do trabalho e desenvolvimento urbano e rural, por exemplo, “é imprescindível para tenhamos uma rede social por trás, porque as pessoas pensam se combate a violência colocando mais policiais nas ruas, e sabemos que não é simples assim”. 
Desenvolvimento Urbano e Rede Cidades
As mesas programáticas serão realizadas até 10 de junho, no auditório da Seplan, sempre discutindo os planejamentos estratégicos organizacionais e a integração dos compromissos pactuados. Nesta quinta-feira (30), a partir das 9h, será a vez do ‘Desenvolvimento Urbano e Rede Cidades’ . 
As próximas mesas vão discutir ‘Desenvolvimento Rural’ (31/5), ‘Inclusão Socioprodutiva e Mundo do Trabalho’ (3/6), ‘Educação’ (4/6), ‘Meio Ambiente e Sustentabilidade’ (5/6), ‘Desenvolvimento Produtivo’ (6/6), ‘Assistência Social e Garantia de Direitos’ (7/6) e ‘Gestão Governamental’ (10/6). 

Fonte: Ascom/Seplan