Promover políticas públicas para superar as desigualdades de gênero, gerando autonomia social e econômica, além da prevenção e enfrentamento à violência contra as mulheres. Esses foram os principais eixos das discussões da mesa programática do Plano Plurianual Participativo (PPA 2020/2023) realizada nesta sexta-feira (24), na Secretaria do Planejamento (Seplan), em Salvador. Com o tema ‘Mulher Cidadã’, o evento teve a participação de representantes de oito secretarias.
De acordo com a secretária de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, a atividade é uma iniciativa relevante, principalmente por promover a integração do PPA com o Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) e o Programa de Governo Participativo (PGP). “Acredito em políticas integradas, e o planejamento tem protagonismo nisso”, destacou Palmeira.
Segundo ela, a busca por políticas eficazes para garantia da cidadania e da qualidade de vida da população baiana em sua diversidade é o foco da pasta. “Buscamos o recorte de gênero nas diversas políticas, e isso é fundamental para o fortalecimento de um órgão agregador e catalisador dessas políticas. Neste caso, a SPM que tem esse papel”, afirmou. 
A Operação Ronda Maria da Penha foi destacada durante a mesa como exemplo de uma política pública efetiva de enfrentamento à violência contra a mulher e que envolve diversos atores em seu comitê de governança. “Discutimos hoje o desenho, sua estruturação e também a interiorização da Ronda Maria da Penha”, explicou a capitã BM Maribel Fernandes, coordenadora da Superintendência de Prevenção à Violência da SSP.
As mesas programáticas seguem até 10 de junho, sempre no auditório da Seplan. O objetivo é discutir o alinhamento entre os instrumentos de planejamento e os planejamentos estratégicos organizacionais de cada secretaria, com a integração dos compromissos pactuados. A partir daí, a Seplan,  juntamente com as demais secretarias, fará um desenho inicial das metas, dos compromissos e indicadores do PPA 2020/2023. Na segunda-feira (27), o tema de debate será Infraestrutura. 
Fonte: Ascom/Seplan