Como fortalecer as atuais políticas públicas e criar outras que promovam a igualdade racial, de povos e comunidades tradicionais nos próximos quatro anos? Para responder essas e outras questões, e, principalmente, adequar as demandas ao orçamento do estado, representantes de 10 secretarias se reuniram nesta quinta-feira (23), no auditório da Secretaria do Planejamento (Seplan), numa mesa programática do Plano Plurianual Participativo (PPA 2020/2023).
Para André Reis, diretor do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), unidade da Secretaria de Cultura (Secult), a palavra que resume esses encontros de discussão é a integração. “A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial [Sepromi] é nossa coirmã. Nessa mesa de hoje, conseguimos incluir a necessidade de ampliação do projeto Ouro Negro, de apoio aos blocos de matrizes africanas”, afirmou Reis.
Já a representante da Secretaria do Turismo (Setur), Tâmara Azevedo, lembrou que o tema ampliou o leque da pasta, que passou a não trabalhar só com o trade turístico. “Já qualificamos quatro mil pessoas de comunidades étnicas, afros ou indígenas com o objetivo de criarmos essas rotas turísticas”, explicou Tâmara, lembrando ainda que essas comunidades tradicionais são empreendedoras de saberes e fazeres.  
As mesas programáticas são realizadas até 10 de junho, sempre no auditório da Seplan, e têm como objetivo discutir o alinhamento entre os instrumentos de planejamento e os planos estratégicos organizacionais de cada secretaria, com a integração dos compromissos pactuados. A partir daí, a Seplan, juntamente com as demais secretarias, fará um desenho inicial das metas, dos compromissos e indicadores do PPA 2020/2023. Nesta sexta-feira (24), o tema da atividade será ‘Mulher Cidadã’. 
Fonte: Ascom/Seplan