As principais políticas públicas culturais para os próximos quatro anos e a interação entre as ações de nove secretarias de Estado nessa área foram discutidas nesta quarta-feira (22), na Secretaria do Planejamento (Seplan), em Salvador, durante uma mesa programática do Plano Plurianual Participativo (2020/2023). 
Construção de praças e espaços culturais, salvaguarda do patrimônio material e imaterial, interação com novas tecnologias e a cultura enquanto atividade econômica e geradora de trabalho e renda foram alguns dos assuntos tratados na mesa. “Além de elogiar a equipe da Seplan, que facilitou bastante o nosso trabalho, estou muito contente de ter essa oportunidade de viver um momento em que a cultura é vista como eixo primordial, estratégico dentro de um governo”, afirmou a secretária estadual de Cultura, Arany Santana.
Para o representante da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) na mesa programática, Ricardo Mendes, a oportunidade é importante para a interação das ações de cada secretaria envolvida com o tema. “No âmbito da Sedur, por exemplo, temos a construção de praças e a revitalização do Centro Antigo que interagem com o tema. Esse momento de pensar e pactuar os próximos quatro anos é primordial para não termos sobreposição de ações e também um melhor investimento do dinheiro público”, disse Mendes.  
As mesas programáticas são realizadas até 10 de junho, sempre no auditório da Seplan, com o objetivo de discutir o alinhamento entre os instrumentos de planejamento e os planejamentos estratégicos organizacionais, com a integração dos compromissos pactuados. A partir daí, a Seplan, juntamente com as demais secretarias, fará um desenho inicial das metas, dos compromissos e indicadores do PPA 2020/2023. Nesta quinta-feira (23), o tema ‘Igualdade Racial, Povos e Comunidades Tradicionais’ será discutido a partir das 9h.
Fonte: Ascom/Seplan