Obras de urbanização integrada que estão em andamento na comunidade de Nova Constituinte, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, foram vistoriadas pelo governador Rui Costa, na manhã desta terça-feira (15). Na ocasião, também foi assinada uma ordem de serviço que garante o início de outras intervenções, na localidade de Barreiros, vizinha da comunidade.

Com previsão de conclusão para junho e julho deste ano, as obras visitadas por Rui integram as etapas 2 e 6 do contrato de urbanização integrada, somando, as duas, um custo de R$ 24 milhões. "No total, a obra conta com um investimento de R$ 80 milhões. O objetivo é garantir melhor qualidade de vida e infraestrutura para que o povo do subúrbio possa viver melhor. O trabalho continua e já autorizei novas obras hoje. Serão mais R$ 4 milhões para a urbanização de outras ruas”, explicou o governador.

Nova Constituinte
(Foto: Camila Souza/GOVBA)

A etapa 2 conta com serviços de drenagem, esgotamento sanitário, contenção, melhorias habitacionais, unidades sanitárias e pavimentação em 100 ruas e caminhos. Já a etapa 6 é constituída pela recuperação do Canal Glória Paraguari, com implantação de um dreno de 600 metros de extensão revestido por geocelula e concreto.

Moradora da região há 20 anos, a manicure Adriana Barreto conta que muita coisa mudou. "Essas obras são motivo de orgulho para todos os que residem na Nova Constituinte. Aqui era um lamaçal só e hoje temos asfalto, está chegando a rede de esgotamento, nossas crianças podem brincar na rua. É um sonho realizado", comemorou.

Ordem de serviço

Orçadas em R$ 4 milhões, as obras autorizadas em Barreiros, localidade bem próxima da Nova Constituinte, vão permitir a realização de serviços de infraestrutura, pavimentação, drenagem pluvial, rede de esgotamento sanitário, contenções de alvenaria e abastecimento de água. Até dezembro deste ano, as intervenções devem ser completamente concluídas.

Todas as ações estão sendo executadas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur). De acordo com o titular da pasta, Demir Barbosa, "a comunidade, organizada e composta por cooperativas e associações, clamava por essas obras e o Estado atendeu com todo o empenho, realizando o sonho antigo desses moradores".

Repórter: Renata Preza