O transplante de órgãos é um ato de amor e uma forma de salvar vidas. Como forma de reconhecimento à dedicação de pessoas e instituições que incentivam a prática, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) realizou a entrega do Troféu Amigo do Transplante, nesta terça-feira (11), na Associação Bahiana de Medicina (ABM), no bairro de Ondina, em Salvador. 
Foram homenageados quatro personalidades e uma instituição, que se destacaram neste ano como incentivadores de transplante de órgãos. "Esse é um momento de reconhecer aqueles que nos ajudaram a construir uma política de saúde voltada para o transplante na Bahia. Nós precisamos fazer um esforço conjunto para vencer as barreiras da doação. Há uma elevada taxa de negativa das famílias. Então, precisamos convencer essas famílias de que doar é um ato de amor", afirmou o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas. 
O troféu foi entregue à cantora Katê; ao médico Jorge Motta, representando o Hospital do Subúrbio; ao provedor da Santa Casa de Feira de Santana, Luiz Carlos Seixas de Souza; ao médico Roberto Sidney Côrtes Quadros, representando o Hospital de Olhos de Conquista; e ao Frigorífico JF Agropecuária, que contribui para a formação de profissionais captadores de córneas, uma vez que realiza doação de cabeças de suínos para uso em cursos de especialização.
O médico Roberto Quadro revelou que "é um prazer muito grande receber essa homenagem. A questão do transplante é um problema nacional, mas, desde 2009, quando começamos a realizar as doações, o número de captação e de transplantes tem crescido. A relação com o Governo do Estado para que isso aconteça é fundamental". 
Fila de espera
Segundo a coordenadora do Sistema Estadual de Transplantes, Rita de Cássia Pedrosa, "o ano de 2018 na Bahia foi positivo. As listas de espera estão diminuindo. As doações estão sendo feitas em todos os locais da Bahia. Estamos levando as informações, com profissionais capacitados, e as pessoas estão tendo uma melhor conscientização". 
Na Bahia, em 2018, foram registradas 122 doações de múltiplos órgãos e 513 de córneas de janeiro a novembro. As doações possibilitaram que fossem realizados 502 transplantes de córnea, 45 de fígado, 183 de rim, dois de coração e 95 de medula óssea. Existem atualmente 1758 pessoas em fila de espera por um transplante, sendo 1037 de rim, 718 de córnea e três de fígado.
Uma dessas doações beneficiou Eusmar Rodrigues, 19 anos, que passou pelo transplante de fígado em outubro, no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS). "De agora em diante, espero ter uma vida melhor. Antigamente, era ruim, porque eu precisava fazer paracentese a cada 15 dias. Agora vou poder fazer o que não podia fazer antes, como viajar e também vou casar", disse Eusmar. 
Repórter: Raul Rodrigues