Foi inaugurado, na manhã desta quarta-feira (29), o Centro de Hemodiálise do Subúrbio, localizado em um prédio anexo ao Hospital Alayde Costa, no Alto da Terezinha, no Subúrbio de Salvador. A unidade oferece 35 máquinas, distribuídas em duas salas, e tem capacidade para atender 260 pacientes por mês, 50 deles em casa. A abertura do serviço representa a oportunidade de alta médica para 206 pacientes que estão internados por falta de vagas para realizar o procedimento.
 
Para o secretário da saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, a abertura do centro representa a reinserção de mais de 200 pessoas nas suas famílias e, automaticamente, devolve para o sistema de internação hospitalar do Estado e para a Central Estadual de Regulação da Bahia (CER) mais de 200 leitos que estão bloqueados por pacientes crônicos renais na rede pública. 
 
O Centro de Hemodiálise do Subúrbio é o 12º da capital e o 34º credenciado pelo SUS na Bahia. O Estado será o responsável pelo custo mensal de manutenção, no valor de R$780 mil, totalizando um investimento anual superior a R$ 9,3 milhões.  O atendimento aos pacientes será via regulação, a partir da segunda-feira (2).
 
“Essa clínica vai atender o paciente renal, de forma que o implante de cateter, confecção das fístulas (conexão entre uma artéria e uma veia), enfim tudo isso vai ser confeccionado na clínica, com facilidade para o paciente não ficar em uma lista de espera, levando seis meses para colocar um cateter, por exemplo”, contou o presidente da Associação de Defesa dos Direitos dos Pacientes Crônicos Renais do Estado da Bahia (Renal Bahia), José Vasconcelos, sobre a abertura do Centro. 

Repórter: Lina Magalí