Com a proposta de sensibilizar e conscientizar o professor em sala de aula para saber lidar com os estudantes com deficiências e/ou transtornos, a Secretaria da Educação do Estado deu início, nesta terça-feira (28), no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT), ao curso ‘Inclusão em pauta’. Serão certificados 200 docentes (sendo 170 da rede estadual e 30 da rede municipal) ao final da formação, que prosseguirá em módulos até novembro. 
A capacitação está sendo realizada de forma presencial e por meio de videoconferências para educadores ligados aos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE). Os temas do primeiro momento do curso giraram em torno dos fundamentos legais, dos princípios pedagógicos e os objetivos da Educação Inclusiva. 
A advogada e blogueira Amanda Ferretti, que tem deficiência visual, palestrou sobre os avanços e perspectivas da Lei Brasileira de Inclusão (LBI). “É muito importante estarmos aqui hoje para apresentar a LBI, que é um assunto pouco falado e precisamos divulgá-lo. Essa lei já está em vigência há quase três anos e poucas pessoas a conhecem, e o capítulo da Educação Inclusiva é menos aplicado ainda”, afirmou. 
Também foram trabalhados assuntos como as altas habilidades e o ‘Pra Cego Ver’, recurso de acessibilidade para as redes sociais criado por Patrícia Braile, coordenadora da Educação Inclusive do Estado, que pode ser usada em sala de aula e em qualquer outro espaço que caiba acessibilidade. 
“Esta formação está sendo desenvolvida em parceria com o IAT e traz a novidade da oferta à distância, ampliando a possibilidade de participação de professores que serão certificados com temáticas novas, como a produção editorial acessível”, destacou o superintendente de Políticas para a Educação Básica da Secretaria da Educação, Ney Campelo. 
Participam da formação o Centro de Atendimento Educacional Especializado Pestalozzi da Bahia; Centro de Educação Especial da Bahia (CEEBA); Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual (CAP); Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez Wilson Lins (CAS/BA); Instituto de Cegos da Bahia e Colégio Estadual Vitor Soares.
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado