Nesta terça-feira (18), às 14h, acontece uma atividade paralela à exposição ‘Coroa de Ouro: Torsos e Turbantes’, em cartaz até 25 de janeiro de 2019 no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho). Na ocasião, a realizadora da mostra, a cabeleireira, esteticista afro e hair designer Negra Jhô, promove uma oficina e desfile de turbantes. O desfile dos 21 turbantes acontece dentro e fora do museu, com apresentação musical.

De autoria de Negra Jhô, a exposição "Coroa de Ouro: Torsos e Turbantes" é uma parceria com a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac) e conta com turbantes estilizados e confeccionados pelo Instituto Kimundo. “O turbante faz parte da nossa cultura. Não existiria Ilê Ayiê, Filhos de Ghandi e diversos outros blocos afros sem esse adereço. O turbante também representa nossa autoestima e a valorização da ancestralidade”, afirma a artesã Negra Jhô.

Filha de Ogun com Iansã, a estilista é conhecida por seus projetos que visam promover a autoestima e o orgulho pela identidade negra por onde passa. Além da exposição, também serão realizadas mediações e oficinas de turbantaria e estamparia afro promovidas pela própria Negra Jhô e pelo setor educativo do museu. No encerramento da exposição, o público poderá apreciar 21 modelos num desfile que mostrará os torsos e turbantes da mostra, além de indumentárias produzidas por estilistas e grifes afro-baianas.