Uma cozinha foi instalada no Parque de Exposições de Salvador, na 9ª Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidária, durante a Feira Internacional de Agropecuária da Bahia (Fenagro), para promover a Cozinha Show, ação que viabiliza troca de saberes gastronômicos entre estudantes da Educação Profissional e Tecnológica do Estado de cursos técnicos ligados à alimentos, povos e comunidades tradicionais e chefs de cozinha com a proposta de fomentar conhecimentos sobre diferentes culturas e culinárias típicas, estimulando a criatividade e o empreendedorismo. A iniciativa é promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Para Juliana Santana, 22 anos, estudante do curso técnico em Gastronomia do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Empreende Bahia, em Salvador, a experiência tem sido positiva. “A Cozinha Show está muito interessante pois é sempre bom aprender uma nova receita, ainda mais com ingredientes diferentes, já que isso estimula nossa criatividade. Ver o trabalho do chef na elaboração do prato é outro aprendizado que enriquece”, afirmou. Sua colega de sala, Tatiane Souza, 23, também participou da iniciativa e destacou a importância de conhecer mais sobre os hábitos de diferentes comunidades e a forma como se relacionam com alimentos da região: “É importante aprender outras culturas e seus sabores, conhecer a história sobre aquele ingrediente. Isso ajuda na nossa formação”.

Nesta quarta-feira (28), a Cozinha Show mostrou a riqueza do Cerrado, com a presença de geraizeiras e do chef convidado João Vitor Andrade, que utilizou o cajuí, fruto típico do Bioma, de forma regionalizada. O resultado? Uma moqueca de cajuí com castanha do Pará e farofa de tapioca que foi preparada pelo profissional e degustada por todos os participantes da aula. “Quis desmistificar a ideia de que moqueca só pode ser feita com frutos do mar, destacando a versatilidade dos nossos frutos, valorizando a agricultura familiar e o uso de produtos naturais. A experiência foi gratificante”, disse.

Elka Licia Silva Alves, coordenadora técnica da Coordenação Executiva de Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica da SDR, explicou que a iniciativa teve a proposta de valorizar povos e comunidades tradicionais, a Agricultura Familiar e diferentes culturas que permeiam o estado da Bahia. “Inovamos e estamos trazendo geraizeiras, quilombolas, indígenas e ribeirinhos para falar sobre como eles se relacionam com determinado alimento e como isso faz parte da cultura deles. Depois da contextualização, o chef convidado elabora um prato a partir do ingrediente destacado para ser degustado no final da aula. É mais do que uma aula de gastronomia. É uma aula de história que ajuda na formação desses estudantes”.

Professora do curso técnico de Cozinha, Alimentos e Nutrição do CEEP Empreende Bahia, Flávia Costa, ressaltou que a experiência é muito rica por permitir um aprendizado fora da sala de aula que pode contribuir com novas possibilidades de acesso ao mundo do trabalho. “Estou achando ótima a ideia de reforçar a agricultura familiar, fortalecendo, também, o empreendedorismo, para que eles possam produzir para comercializar, utilizando produtos locais”. Nesta sexta-feira (30), a ação continua com o tema Marisqueiros e Pescadores. O evento é aberto ao público.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado