As diferentes criações estudantis desenvolvidas durante o ano letivo nas escolas estaduais estão sendo apresentadas nas etapas territoriais dos projetos de arte e cultura, que são realizados pela Secretaria da Educação do Estado, com o objetivo de dinamizar o ambiente escolar e promover o protagonismo estudantil. No Núcleo Territorial de Educação de Teixeira de Freitas (NTE 07), a territorial começou nesta quarta-feira (21) e segue até quinta (22), no Cenarium Eventos. Em Paulo Afonso (NTE 24), a ação acontece, no mesmo período, no clube de Paulo Afonso. Nesta quinta-feira (22), as apresentações serão realizadas em Serrinha (NTE 07), às 9h, no Shopping de Serrinha, e, a partir das 16h, em Eunápolis (NTE 27), no salão de eventos do Hotel Portal.

Os estudantes, que foram selecionados nas etapas escolares, protagonizam a etapa territorial dos projetos: Tempo de Artes Literárias (TAL), Festival Estudantil de Teatro (FESTE), Mostra de Dança Estudantil (DANCE), Artes Visuais Estudantis (AVE), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Produções Visuais Estudantis (PROVE), Festival Anual da Canção Estudantil (FACE) e o Canto Coral Estudantil (ENCANTE.

A estudante Lara Silva, 17 anos, do Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães, em Itamaraju, disse que a oportunidade de participar do EPA proporcionou conhecer mais a história do seu município. “Fizemos um projeto voltado para a Lagoa do Jacaré que e se encontra abandonada. Um local histórico para a nossa cidade que foi esquecido, porém com esse produto cultural buscamos resgatar a história e mostrar a importância para os moradores. E tudo isso acontece por meio do incentivo e orientação dos professores na escola, o que nos dá mais estrutura para desenvolver o projeto”, ressaltou.

Para as estudantes Cristyele Oliveira e Joyce Gomes, ambas com 17 anos, do Colégio Estadual Machado de Assis, em Teixeira de Freitas, o FESTE foi o espaço encontrado para debater assuntos de interesse dos jovens. “Na peça ‘A vida não pode parar’, queremos apresentar uma discussão voltada para o problema da depressão e ansiedade que se tornou muito comum entre os adolescentes”, explicou Cristyele. Joyce Gomes completa: “Os projetos culturais são uma forma mais atrativa de apresentar esses temas aos estudantes devido ao formato lúdico. Com certeza há uma absorção maior do conhecimento”, afirmou.


Fonte: Ascom/Educação