Até o dia 31, a sede do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), localizada na Casa 12, no Largo do Pelourinho, recebe o projeto ‘Para Sempre Na Memória Quem Faz História’, que tem como objetivo celebrar o mês da cultura popular com exposições, oficinas e atividades. Com entrada gratuita, o público pode conferir a programação de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, e aos sábados e domingos, das 10h às 16h.
O projeto também faz homenagem ao mestre Jorge Conceição, morto no ano passado. O salão principal da Casa 12 recebe a exposição do acervo do educador, com documentários, fotos, exposição de livros e contação de histórias. “Jorge foi um militante histórico do movimento negro, com um trabalho social muito importante desenvolvido tanto com crianças quanto com adultos”, explica o diretor do CCPI, Ronaldo Barros. 
O diretor do CCPI acrescenta que “a cultura especifica o que o povo produz e está presente em todos os lugares. Essa exposição tem como objetivo fortalecer essa cultura tão importante. Além do que vai ficar aqui na casa, estamos celebrando o mês da cultura popular com diversas atividades, manifestações de samba, reggae, pagode e samba de roda. Nós fizemos ainda uma bela homenagem a Batatinha, articulando várias linguagens para celebrar esse período”. 
Homenageado

Educador, militante do movimento negro, um dos fundadores do Coletivo de Entidades Negras (CEN) e criador da Universidade da Reconstrução Ancestral Amorosa (UNIRAAM), atual Ponto De Cultura Boiada Multicor, Jorge Conceição foi re-contador de histórias e autor de diversos livros para crianças e adultos, além de animador de teatro experimental de rua.
Repórter: Tácio Santos