O Mutirão de Cirurgias começou a atender em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, nesta segunda-feira (14). Nesta nova etapa, a iniciativa também atende crianças de 4 a 13 anos e disponibiliza cirurgias de amigdalectomia com adenoide; hernioplastias inguinal, umbilical e epigástrica; e retossigmoidectomia (retirada da bolsa de colostomia). 
A mãe de Jamile das Neves Araújo, 5 anos, está esperançosa para resolver os problemas de adenoide e amígdalas que acometem a pequena desde o primeiro ano de vida. Simone Araújo conta que procurou o Mutirão de Cirurgias logo no primeiro dia do atendimento “porque preciso resolver essa situação da Jamile. Toda hora eu a levo ao médico, mas é só paliativo e o caso dela é cirúrgico”. 
O mesmo motivo levou a mãe de Ítalo Brito de Souza Silva, 5 anos, ao mutirão. Edna Brito também está na expectativa de resolver a situação do filho, que desde 3 anos teve o diagnóstico para realizar a cirurgia de amígdalas. 
Para os adultos, além dos procedimentos de hérnias (umbilical, inguinal, epigástrica), histerectomia e colecistectomia, a iniciativa incluiu a tireoidectomia (retirada da tireoide) nesta nova fase. O mutirão é um programa do Governo do Estado, viabilizado por meio da Secretaria da Saúde (Sesab).

Apoio aos municípios 
A equipe atende em Vitória da Conquista até a próxima quinta (17), no Centro de Convenções Glauber Rocha, Avenida Brumado, 205, sempre das 7h às 17h. O prefeito do município de Encruzilhada, Wekisley Teixeira, destaca os benefícios do mutirão para os municípios, sobretudo os menores, e a importância da inclusão de procedimentos pediátricos, “considerando o déficit de atendimento nessa área, inclusive pela falta desses profissionais”. 
Já a coordenadora dos setores de saúde de Encruzilhada, Maria Aparecida Oliveira Cista, acrescenta que o município de 23 mil habitantes não mede esforços para levar os pacientes até a triagem. Segundo ela, de 2017 até hoje, 334 moradores de Encruzilhada já foram beneficiados pelo mutirão. “É um programa muito importante para população e nós, da administração municipal, temos que viabilizar a ida dos pacientes para serem atendidos pelo programa”. 
Como funciona
Na fase de triagem, os pacientes passam por consulta com cirurgião e realizam exames pré-operatórios. Quem for fazer cirurgia de vesícula precisa estar em jejum para a realização do exame de ultrassonografia (USG). Para as mulheres que farão o procedimento de histerectomia, é necessário levar o exame preventivo atual e o Beta HCG. 
Todos devem apresentar exames laboratoriais e outros que possuam, além dos documentos pessoais como cartão do SUS, carteira de identidade e comprovante de residência. Para quem for realizar tireoidectomia, será feita a triagem na etapa vigente e o encaminhamento para agendamento de consulta especializada e, em seguida, será marcada a cirurgia.
Para saber se a pessoa está cadastrada para passar pela cirurgia, basta consultar a lista única, disponível neste link. O paciente ou responsável também pode procurar a Secretaria Municipal de Saúde do município onde mora para saber se o nome consta na lista para a realização do procedimento. 
Caso algum paciente possua exames indicando a necessidade de uma das cirurgias oferecidas pelo programa, mas não estiver com o nome na lista, pode se dirigir ao local do atendimento munido com os exames e os documentos acima relacionados.
Fonte: Ascom/Sesab