Doença que é a principal causa de cegueira no mundo, a retinopatia diabética é tema de campanha nacional da ADJ Diabetes Brasil, que chega a Salvador nesta quinta-feira (24), numa parceria da Associação Diabetes Juvenil/São Paulo e Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).
A campanha – de natureza educativa, visando à prevenção da retinopatia diabética – tem como alvo o controle glicêmico. Destinada a pessoas com diabetes tipo 1 (DM1), DM2, gestantes e familiares, ela começa na quinta (24), às 8h, no auditório do Centro de Atenção à Saúde (CAS), com programação até 11h30. 
Às 8h30, a oftalmologista e especialista em retina Tessa Mattos, do Cedeba, mostrará os ‘Aspectos Práticos da Prevenção da Retinopatia Diabética’. Em seguida, às 10h, a diretora do Cedeba, a endocrinologista Reine Chaves Fonseca abordará ‘A Importância do Controle Glicêmico’. A ação será encerrada com a apresentação da jornalista e assessora da ADJ Diabetes Brasil, Vanessa Pirolo, com o tema ‘Conhecendo o Projeto Fique de Olho na Retinopatia’. Durante a ação da campanha, os pacientes farão glicemia capilar.
Já são cerca de 16 milhões de pessoas com diabetes no país, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Por começar silencioso, na maioria dos casos, o diabetes provoca sérias complicações, entre elas a retinopatia diabética, que afeta cerca de 40% das pessoas com diabetes. As altas taxas de glicemia degeneram a retina e, com o tempo, a visão pode ser afetada, sendo a principal causa de cegueira.
A retinopatia diabética pode ser de dois tipos. A não proliferativa, forma inicial da doença, é detectada quando os vasos do fundo do olho estão danificados, causando hemorragia e vazamento de líquido da retina, chamado de Edema Macular Diabético. Já a proliferativa é diagnosticada quando os vasos da retina ou do nervo óptico não conseguem trazer nutrientes para o fundo do olho e, por consequência, há formação de vasos anormais, que causam o sangramento.
Fonte: Ascom/Sesab