Estão esgotados os ingressos para o primeiro encontro do projeto Mulher com a Palavra, ano III, nesta terça-feira (20), às 20h, no Teatro Castro Alves (TCA). A escritora Conceição Evaristo e a cantora Karol Conka são as convidadas especiais para abrir a terceira edição do projeto num encontro de gerações e experiências artísticas para dialogar sobre o tema #feminismos!. Realizado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM), em parceria com a Maré Produções Culturais, o Mulher com a Palavra tem patrocínio da Bahiagás e Avon.
Conceição Evaristo e Karol Konká, mulheres reconhecidas tanto pelas suas obras artísticas, quanto pelos posicionamentos e força da fala, são exemplos da diversidade das formas de luta e do próprio feminismo atual. “Buscaremos a cada edição convidar mulheres que falam de feminismos em seus trabalhos ou nos espaços de visibilidade que ocupam” diz Julieta Palmeira, secretária de Política para as Mulheres do Estado da Bahia e uma das realizadoras da iniciativa.
A escolha do tema #feminismos!, assim mesmo com exclamação, tem a ver com a ênfase que o Mulher com a Palavra deseja dar em 2018: “há mais de dois anos valorizamos a trajetória pessoal e profissional de mulheres artistas, trazendo reflexões sobre gênero, inspirando pessoas. Agora queremos ir um pouco mais a fundo; vamos discutir as muitas formas de ser feminista na atualidade”, afirma Fernanda Bezerra da Maré Produções Culturais. A cada encontro, este ano, serão convidadas duas mulheres de expressão para conversar e dividir o palco do Teatro Castro Alves, sempre contando com uma mediação da comunicadora Rita Batista.
Gerações de Mulheres Negras
Duas representantes do feminismo negro brasileiro, pulsante e atuante nas mais variadas expressões, sejam artísticas, sejam políticas, sociais e culturais. Conceição Evaristo é uma das escritoras mais aclamadas da literatura brasileira atual, reconhecida com o Prêmio Jabuti e agora também candidata à Academia Brasileira de Letras na cadeira de número 7, que pertenceu ao poeta baiano Castro Alves.
A mineira começou a publicar seus livros na década de 90, nos Cadernos Negros, um espaço fundamental para difusão da produção literária de autores negros no Brasil. Conceição Evaristo é mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, e doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, tendo em paralelo a sua trajetória como escritora a militância política, que se reflete em suas obras que se espraiam entre poemas, romances, contos.

A rapper Karol Conká é curitibana, extrapolando o mundo dominado pelos homens no hip hop e se expressando também como apresentadora, modelo e produtora, sendo uma presença frequente em campanhas de publicidade. Sua música é o principal veículo de sua expressão, trazendo um discurso feminista que se encaixa na sonoridade de um rap que se alia às batidas do funk, do trap, reggae e outros ritmos negros contemporâneos.