“O esporte e lazer tem sido uma excelente ferramenta de inclusão para a união e o fortalecimento das famílias”, afirma Anaíza Bastos, coordenadora do núcleo do município de Ubaíra, do Programa de Esporte e Lazer da Cidade (Pelc – Bahia), do polo de Santo Antônio de Jesus. Anaíza é uma das 100 pessoas, entre coordenadores e agentes sociais, que participaram de mais uma rodada da segunda formação, entre os dias 21 e 23 de maio, no Centro Pan-americano de Judô, em Lauro de Freitas.

Realizado pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência de Desporto (Sudesb), o Pelc acontece em parceria com o Ministério do Esporte, oferecendo uma qualificação continuada. O Programa de Esporte e Lazer proporciona a prática de atividades físicas, culturais e de lazer que envolve todas as faixas etárias e pessoas com deficiência, estimula a convivência social, contribuindo para que o espaço e lazer sejam tratados como políticas e direitos de todos.

“Esta segunda formação está complementando muito o que já aprendemos no início. Agora, com um pouco do que a gente está vivenciado na prática, com os nossos alunos, faremos um trabalho ainda melhor”, garante Anaíza. Segundo ela, os professores que estão ministrando a formação têm trazido novidades. “Essa troca de experiência tem sido fundamental”, garante. Em Ubaíra, são atendidas cerca de 300 pessoas nas modalidades de futebol, vôlei, handebol, ginástica, dança e recreação.

As atividades da "Formação II Módulo Introdutório" são coordenadas por três professoras da Universidade Federal de Minas Gerais. Além do polo de Santo Antônio de Jesus, já passaram por essa capacitação coordenadores e agentes dos polos regionais de Salvador e Região Metropolitana, Serrinha, Eunápolis, Vitória da Conquista e Caetité.

A partir dessa quinta-feira, inicia a segunda formação do polo de Senhor do Bonfim (24, 25, 26/5), seguida de Itabuna (28,29 e 30/05) e Irecê (04,05 e 06/06), totalizando a segunda formação de coordenadores e agentes dos 100 núcleos em nove polos, instalados em 78 municípios baianos.

Dentre os temas abordados, são discutidas a metodologia do Pelc/Bahia, onde se busca estimular a convivência social, a formação de gestores e lideranças comunitárias, fomentando a pesquisa e a socialização do conhecimento.

Para Talita Brandão, coordenadora do núcleo de do município de Lage, a formação tem sido encarada como um momento de avaliação. “Queremos discutir o que estamos desenvolvendo até hoje, se estamos cumprindo com as diretrizes no Pelc, trocando experiências para aperfeiçoar o que a gente tem feito”, disse. Em Lage, são atendidos cerca de 300 pessoas nas modalidades de ginastica, vôlei e futsal, artesanato, ginástica e dança.



Fonte: Ascom/ Sudesb