Uma saudação calorosa aos ancestrais deu início nas manhãs desta quinta-feira (10) e sexta-feira (11) ao Iº Fórum de Fortalecimento do Bembé do Mercado de Santo Amaro – Processos para a construção das Diretrizes do Plano de Salvaguarda. A ação, uma iniciativa da Associação dos Terreiros de Candomblé da região, visa promover a conscientização sobre a importância da preservação da manifestação cultural Bembé do Mercado, que neste ano comemora 129 anos de existência.

“Estou participando desse fórum com o coração repleto de expectativa. Tenho o desejo de aprender ainda mais sobre a minha ancestralidade e me empoderar de mais conhecimento para que eu possa defender e exigir respeito pela minha religião, responsável por essa grande festa”, destaca Mãe Sereinha, líder religiosa Mãe Sereinh.
A abertura do encontro, que foi realizada no Mercado da cidade, contou com a presença de diversas autoridades, além de convidados especiais que falaram sobre a importância da participação ativa dos povos de santo e comunidades de terreiro do Recôncavo Baiano como protagonistas na elaboração, definição de diretrizes, ações e metas, visando o apoio, salvaguarda e fomento do Bembé do Mercado.

“É importante que se conte e se valorize a história do Bembé do Mercado,essa festa linda e emocionante, pois há 129 anos Santo Amaro luta pra manter firme essa tradição de matriz africana”, destaca a professora Maria Mutti.

De acordo com Pai Pote, líder religioso do terreiro Ilê Axé Oju Onirê, a ideia não é só debater sobre a importância do Bembé do Mercado e sim promover o resgate da história e memória, inclusive de lideranças que conduziram a festa ao longo desses anos.

“O Fórum é aberto a todas e todos que desejem discutir o tema e contribuir com a construção de novos métodos de preservação. As pessoas devem ter o conhecimento que o Bembé, para além de um candomblé de rua, é um sinal de resistência”, diz Pai Pote.

Registrado como Patrimônio Imaterial da Bahia, através do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), desde 2012, decreto estadual nº 14.129/2012, o Bembé do Mercado está passando por uma instrução, realizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para que seja obtido o registro como ‘Bem Registrado Cultural Nacional’. Confira matéria completa no site do Ipac.


Fonte: Ascom/ Ipac