Uma descoberta de um painel de aproximadamente 16 metros quadrados em azulejos, de 1961, executada pelo ceramista Udo Knoff, e instalado no Centro Educacional Magalhães Neto, no bairro dos Barris, em Salvador, resultou no projeto ‘Ação Escola’ – evento participante do ‘SOS Azulejos no Mundo’, realizado no dia 6 deste mês.

O projeto foi realizado pela pesquisadora da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Eliana Mello, e envolveu os estudantes do colégio e o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, administrado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), no Pelourinho/Centro Histórico de Salvador. Na ocasião, os estudantes fizeram uma visita ao acervo no museu e realizaram uma pintura coletiva de um painel em azulejos com a equipe do setor educativo.

A ação, motivada pela pesquisadora (professora, doutoranda e restauradora) Eliana Mello, ocorreu após a descoberta da obra. “Localizado estrategicamente na área central do pátio do Centro Educacional Magalhães Neto, o painel de azulejos ficava todo coberto por cartazes temáticos relacionados aos eventos comemorados na instituição e, por esse motivo, permaneceu sem que fosse notado. Entretanto, em 2018, a obra foi descoberta pelo museólogo Estácio Fernandes e, a partir daí, desenvolvemos as ações”.

Painel Udo Knoff
Painel estava coberto por cartazes temáticos relacionados aos eventos comemorados na instituição
(Fotos: Ascom/Dimus)

Mello explicou que o museólogo Estácio Fernandes, colaborador do Núcleo de Tecnologia da Preservação e da Restauração (NTPR), informou sobre um painel no Centro Estadual Magalhães Neto levantando a possibilidade de ser mais uma obra do citado artista-ceramista. “Esta informação acabou contribuindo com outro trabalho no qual eu estava empenhada, voltado à participação de instituições no projeto ‘Ação Escola’. Resolvi unir uma coisa à outra – catalogar a obra executada por Udo Knoff e envolver a escola no ‘SOS Azulejos no Mundo’.

Mas, segundo a professora, ao chegar ao local, ela percebeu que o painel estava escondido e maltratado pela cobertura de materiais aderidos. “Então, me comprometi a higienizar integralmente o revestimento da obra e, ao final, fazer uma palestra para a comunidade escolar, alertando sobre a importância da preservação deste bem”.

Como planejado, Eliana realizou a higienização do painel e, em 24 de abril, foi realizada uma palestra para os alunos do colégio mostrando a importância do trabalho de Udo Knoff e da azulejaria contemporânea. O projeto teve mais uma etapa, no último dia 6, integrando o ‘SOS Azulejos no Mundo’. “É muito importante a preservação do nosso patrimônio. Essas atividades reforçam nosso compromisso com a promoção da cultura, atraindo cada vez mais os jovens para o museu, divulgando ainda a arte da azulejaria e o trabalho de Udo Knoff”, disse a coordenadora do Museu Udo Knoff, Renata Alencar,

Painel Udo Knoff
Projeto da pesquisadora da Ufba, Eliana Mello, envolveu os estudantes do colégio e do museu.

‘SOS Azulejos no Mundo’

O projeto ‘SOS Azulejos no Mundo’ é uma iniciativa que tem sede em Portugal e, no Brasil, é acolhido, sediado e coordenado pelo NTPR, Laboratório de Conservação e Restauro da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O objetivo do projeto é disponibilizar para a sociedade as informações sobre patrimônio, contribuindo para que sejam percebidas, na sua construção, a arte e a história, provocando conhecimento na nossa memória, que legitimam nossos afetos de pertencimento e, por consequência, nos envolvem em sua preservação para as gerações futuras.

Museu Udo Knoff

Dois ambientes são ocupados por materiais referentes à arte da cerâmica e do azulejo, no Museu Udo Knoff, localizado na Rua Frei Vicente, 3. A área inferior expõe as peças criadas pelo ceramista Udo Knoff – idealizador do museu -, além de proporcionar uma visão cronológica da existência do azulejo disposta do século 15 ao 20, incluindo sua chegada ao Brasil, no século 17. Já a sua área superior, exibe fotografias de prédios revestidos com azulejos confeccionados pela oficina de Udo Knoff, resultado de projetos de artistas renomados do estado da Bahia.

Completam a exposição, objetos confeccionados nas oficinas desenvolvidas pelos museólogos da casa, que realizam atividades educacionais com o objetivo de se manter o desejo de Udo Knoff. O espaço integra a Diretoria de Museus do Ipac. A visitação pode ser feita de terça-feira a sábado, das 13 às 17h, com entrada grátis. Telefone (71) 3117-6389.

Fonte: Ascom/Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac)