O serviço da Unidade Móvel do Centro de Referência de Combate ao Racismo Nelson Mandela, na Micareta de Feira de Santana, foi aberto na noite de quinta-feira (19) para sensibilizar os foliões sobre a importância do respeito à diversidade e recepcionar denúncias de violações de direito contra a população negra.

A iniciativa, resultado de uma parceria entre Governo do Estado, por meio da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Prefeitura de feira de Santana, órgãos locais e estaduais, será colocada em prática durante todos os dias da festa.

“Ofereceremos orientações, campanha de conscientização e atendimento para os casos de racismo e outras violações na esfera racial. Assim, vamos descentralizando nossas políticas afirmativas e ampliando os diálogos”, afirmou a secretária Fábya Reis, destacando o arranjo institucional e parcerias construídas para a Micareta, que conta com a participação da Sepromi pelo quarto ano consecutivo.

Sepromi Micareta
Fábya Reis: "Assim, vamos descentralizando nossas políticas afirmativas e ampliando os diálogos”.
(Fotos: Kleidir Costa/Sepromi)

O prefeito Colbert Martins ressaltou a importância da atenção e proteção social aos cidadãos que curtem a festa. “Teremos, sem dúvidas, um forte trabalho de integração. Este é o objetivo, na esperança de termos uma Micareta pacífica e feliz”, afirmou, ao lado do secretário municipal de Desenvolvimento Social, Ildes Ferreira.

Intitulado de ‘Micareta sem Racismo’, o serviço oferecerá apoio jurídico e informações ao público. Os atendimentos serão realizados na Avenida Presidente Dutra, em frente à antiga Direc. No circuito e entorno, os foliões contarão com equipes de monitoramento, aplicando questionários e atentas aos eventuais casos de violação de direitos, experiência também desenvolvida no Carnaval de Salvador.

Parcerias

Sepromi Micareta

Coopera com a Sepromi na realização do serviço, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso), por meio do Departamento de Promoção da Igualdade de Gênero, Racial e de Juventude. A Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa da Bahia também estará articulada, juntamente com um conjunto de parceiros da sociedade civil e de poder público.

A cerimônia de abertura teve a presença da titular da secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira; da coordenadora do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, Nairobi Aguiar; e dos assessores de gabinete Ailton Ferreira e Raimundo Gonçalves.

Também comparecerem representantes do Ministério Público do Estado (DPE); Ouvidoria Geral do Estado (OGE); Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs); Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra da Bahia (CDCN); além do presidente da Comissão de Promoção da Igualdade Racial da Assembleia Legislativa (Alba), Bira Corôa.

Fonte: Ascom/Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi)